segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Sexo com amor

Deus me aparece – e não considero isso uma heresia – na hora do sexo, desde que feito com quem se ama. É completamente diferente do sexo casual, do sexo como válvula de escape. Diferente, preste atenção. Não quer dizer que qualquer sexo não seja bom.

A Martha Medeiros bem que tentou consertar, amenizar, mas já estava dito. Pronto. O parágrafo publicado em meio à crônica deste domingo, na Revista O Globo, me acertou em cheio, assim como deve ter acertado muita gente que está há tempos sem fazer sexo com amor.

Porque é completamente diferente mesmo. E isso nada tem a ver com o fato da pessoa amada saber fazer a posição do canguru perneta. É a intensidade de estar presente, do envolvimento, que torna tudo mais brilhante. É um balé improvisado perfeitamente harmônico. É o suave calor no centro do peito, o calor do sentimento, que é incomparável, insubstituível, inenarrável. Nos sentimos amparados, alimentados, acolhidos. Tudo de bom.

Não acho saudável evitar sexo porque não estamos amando alguém. Além do mais a vida é dinâmica; traz até nós coisas que não esperamos, assim como as leva de repente. Observar e aproveitar essas oportunidades é divertido – se sabemos lidar com elas com desapego.

Mas é preciso lembrar sempre... como é gostoso gostar de alguém. Para não endurecer, criar casca, e achar que sexo casual nos basta.

Não basta, não.

O parágrafo da Martha me fez sentir muita saudade de gostar de alguém de verdade. Mas que mais posso fazer, a não ser aguardar a vontade do céu? Não há como apressar nem atrasar nada nesse mundo. A vida é sábia.




5 comentários:

Marcia Regis disse...

Pois é...

Pâmela disse...

É, que azar não podermos escolher quando, onde e por quem vamos nos apaixonar, não?
Mas, enquanto não acontece, vamos levando do jeito que dá. Se vai ser com ou sem sexo, com ou sem envolvimento, aí já vai de cada pessoa...
Boa semana! ^^

Hazel disse...

Muito bonito, este post. Concordo plenamente.

Carolina disse...

Pois é... Sexo é bom de qualquer forma, mas com amor com certeza tem algo a mais, assim como quando já temos uma certa familiaridade com a pessoa a coisa flui muito melhor.
Mas amar é o luxo dos deuses e está cada vez mais difícil achar este produto gostoso de sentir. Ou será que a gente que anda muito exigente?
bjos

Anônimo disse...

Pois é risos
Cheguei ,tudo bem com asa quebrada, ...afinal cheguei sem para quedas do céu risos ...