segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Guillermo Arriaga e Diego Bracco no Rio e SP

Quem mora nessas cidades?

Nesta terça e quarta, haverá bate-papo entre o historiador ítalo-uruguaio Diego Bracco, autor de María de Sanabria (Ed. Record) e o escritor e roteirista mexicano Guillermo Arriaga, autor de O Esquadrão Guilhotina (Ed. Gryphus), na Livraria da Vila (19/8; SP) e Livraria Da Conde (20/8; RJ).

Bracco chegou ontem à Bienal; seu livro ganhou duas páginas na Isto É que está nas bancas. Conta a história de uma mulher destemidíssima, que se empenha em uma viagem à costa Sul do Brasil em 1550, trazendo consigo outras mulheres espanholas que haviam sido condenadas por assassinatos de maridos, pais e abusadores. O propósito da viagem: que essas mulheres se casassem com os colonizadores aqui estabelecidos. Ela mesma casou-se duas vezes e um de seus filhos, mais tarde, voltou à Europa e foi um dos fundadores da Universidade de Córdoba, Espanha.

Arriaga, como devem saber, é mais famoso como roteirista: Babel, 21 Gramas, Amores Perros. Este livro, assim como o de Bracco, é um romance histórico, mas confesso que não sei exatamente do que se trata. Só sei que é um homem de dois metros de altura, super-carismático. Um charmosão.

Os eventos têm entrada gratuita e serão todos bem-vindos lá. Até!

6 comentários:

Pâmela disse...

Bom, não moro em nenhuma dessas cidades, então venho comentar mau próprio post (egocêntrica, não?).
Minhas amigas já não me aguentam mais falando de Crepúsculo. Eu não sei se é o tipo de história que você gosta, mas é fantástica, daquelas que a imaginação voa solta. É um amor impossível entre uma humana e um vampiro. Mas não um vampiro clássico, sedento por sangue, e sim, um Clark Kent moderno que não tem medo de criptonita.
Como disse, não sei se você gosta desse tipo de ficção, mas acho que vale a pena. Super hipnotizante e sedutor. Tanto o livro como o personagem. Em outras pelavras: PERFEITO! (tirando o fato de que a autora colocou jaguares e panteras na floresta Amazônica, mas a gente releva).
Enfim, o filme sai em dezembro porque, como bom best-seller, Hollywood tinha que aproveitar e descaracterizá-lo, certo?
Mas parece que a produção vai valer a pena e eu vou estar nas últimas filas (porque a primeira é muito desconfortável) da estréia.
E a Bienal?
Beijos!

Carolina disse...

Hum... é nessas horas que penso em erros geográficos na hora do meu nascimento. Mas mesmo assim não vou negar que gosto de viver por estas bandas de Poa.
bjos

Lily disse...

nossa! nem tava sabendo disso!
eu moro no Rio e foi ótimo saber desses acontecimentos!

bjão, querida!

Pâmela disse...

Então... não sei se sua filha vai gostar.
Tem umas sacadas pra gente grande, mas não acho que vai fazer mal nenhum que ela leia. Mas ainda acho que é para uma idade um pouco maior, talvez uns 15 anos.
Mas, se ela é tão inteligente como vc diz, acho que ela vai gostar sim. Acredito q é o tipo de livro q eu gostaria qdo tinha 13 anos.

Tatah Marley's Confissões disse...

pow, soh nas cidade grandes né..
que pena, sou louca por intercambio!
como nao tenho muito o que falar deste seu post, pois nao moro nestas cidades, venho avisar que tenho post novo!
x)
e te dar os parabens, pqe seu blog é muito bom!

Calabresa disse...

Adoro a cidade onde moro (Recife), aqui tem uma vida cultural bastante intensa. Mas é inegavél que é aí no sudeste que as coisas acontecem! Paciência...
Aproveito pra agradecer a visita no meu blog.
Passo sempre por aqui pra te ler.
Abraços!