sexta-feira, 16 de maio de 2008

Saudade de gostar de alguém

Saudade de gostar de alguém é saudade de companhia boa, leve, com quem a gente se diverte muuuito.
É saudade de acordar de manhã e ligar para o outro só pra saber se dormiu bem, se teve bons sonhos, se acordou bem disposto e desejar um ótimo dia.
É ligar no meio do dia por qualquer motivo, só para ouvir a voz do outro e contar qualquer coisa tipo: "descobri uma livraria que você ia adorar..."
É sentir um calorzinho no centro do peito por saber que logo mais à noite vai ter encontro, abraços e beijinhos.
Saber que vai ter conversa boa, sem ter fim, sobre todo e qualquer assunto, porque nunca falta assunto.
E haverá risadas, muitas, entremeadas por mais beijos, abraços, cabeça no ombro, cheirinho do pescoço do outro.
E depois juntos a sós no quarto, tirar a roupa, unir os corpos, brincar de sexo e com o sexo, descobrir sempre novas coisas gostosas de fazer e de sentir com o corpo do outro.
E depois que cansar, dormir abraçados, depois separados, mas de mãos ou pés juntos, ou de costas com os bumbuns grudados.
E se o outro ronca ou se mexe muito, a gente não liga, acostuma, porque todas as outras coisas são tão gostosas que essas perdem a importância.
E depois acordar, abraçar, ficar em silêncio respirando juntos, ouvindo os sons da manhã, os passarinhos, a voz do vizinho.
E aos poucos ir despertando novamente o corpo, beijar na boca sem se preocupar com o hálito – saliva lava tudo – e mão aqui, boca ali e mais coisas gostosas pra fazer com o corpo e junto com o corpo do outro.
E depois tomar banho enquanto o outro faz a barba ou se arruma para trabalhar; fazer o café da manhã juntos, meio correndo por causa do trabalho, mas com conversa e com risadas e beijo de tchau com gosto de café e pasta de dentes.
E planejar juntos a viagem, a festa, o jantar, o passeio com os filhos, o fim de semana, a família, tudo.
E sentir que a vida é mais suave e redonda, muito menos pontuda, porque a gente gosta de alguém.

***

Quem tem a sorte de estar vivendo tudo isso agora? Não importa se tem um mês, um ano, ou 10 anos. Diga o quanto é bom...

5 comentários:

Ana Carolina disse...

Ai amiga! Que post bonito!! O dia-a-dia realmente pode e precisa ser bacana...quando se gosta de alguém :)
Obrigada por ajudar a reforçar isso!

Beijos!

dinha disse...

Valéria conheci seu blog através do blog papo calcinha e gostei muito desse seu post. Você descreveu muito bem o que sentimos quando gostamos de alguém e como todas as outras tarefas da vida ficam menos pesadas em consequência disso. Tenho um relacionamento de alguns anos e nem sempre me lembro de ficar atenta a esses detalhes mas eles fazem toda a diferença. Me dei conta disso a mais de um ano e procuro sempre "ativar" esse encantamento de início de relacionamento e posso dizer que tem dado muito certo.Eu me sinto mais leve, mais relaxada e aproveito cada momento e posso afirmar que esse sentimento é compartilhado pelo meu parceiro.bj

Valéria Martins disse...

Que bom ouvir (ler) isso!!! Duas moças que estão gostando de alguém se pronunciaram... Uma amiga que não namora há muito tempo disse: "não comentei, nem vou comentar porque me deixou deprimida". A intenção não era essa. Eu também estou sem namorado e me veio essa saudade junto com uma esperança. Logo, logo vai acontecer. Pode ser daqui a um mês , um ano...
Bem-vinda, Dinha!

Pablo Lima disse...

já eu estou com saudade de NÃO gostar de alguém...

... disse...

"Não existiria som
Se não houvesse o silêncio
Não haveria luz
Se não fosse a escuridão
A vida é mesmo assim,
Dia e noite, não e sim...

Cada voz que canta o amor não diz
Tudo o que quer dizer,
Tudo o que cala fala
Mais alto ao coração.
Silenciosamente eu te falo com paixão...

Eu te amo calado,
Como quem ouve uma sinfonia
De silêncios e de luz.
Nós somos medo e desejo,
Somos feitos de silêncio e som,
Tem certas coisas que eu não sei dizer...

Pois é Lulu há certas coisas que eu também não sei dizer.