quarta-feira, 7 de maio de 2008

Do estupro e suas variantes

Vocês sabiam 6 mulheres são estupradas a cada hora nos Estados Unidos? E que pelo menos quatro delas são atacadas por mais de um homem?

Essas informações são dadas no final do filme Acusados (The accused, 1988) que está sendo exibido no canal Telecine Cult (65 da Net), e é bem provável que desde então os números tenham crescido, infelizmente.

Assisti esse filme na TV há uns 10 anos e ficou gravado na minha memória por me fazer compreender que mesmo que uma mulher tenha "provocado" o estupro – esse é o principal argumento da defesa da maioria dos acusados desse crime – o homem não tem o direito, NÃO PODE ir às vias de fato. O fato dela ter provocado NÃO JUSTIFICA o crime.

Acusados narra a história de uma mulher de baixa renda, fudida, que briga com o namorado e vai para um bar afogar as mágoas e se "vingar". Bebe todas, fuma maconha, começa a dançar de modo provocador, as alças da blusa caindo, os seios quase à mostra. Lá pelas tantas, o cara com quem está flertando começa a agarrá-la e ela recua: "está ficando tarde, tenho que ir pra casa" etc. Mas ele a imprensa numa máquina de pinball e todos os homens do bar se reúnem ao redor deles, sendo que três gritam palavras de ordem incitando o estupro, do tipo: "vai lá, espeta essa boceta até machucar!" Resultado: a moça é currada por três homens enquanto cerca de outros 10 ou 15 olham e gritam como que torcendo num jogo de futebol. Depois que ela finalmente consegue se soltar, sai correndo nua pelas ruas e vai parar num hospital. Aí começa sua odisséia por justiça.

A cena completa – e terrívelmente realista – do estupro só nos é revelada no final, durante o julgamento dos três caras que incitam o estupro. Porque a advogada que pega o caso faz tudo para condenar não somente os estupradores como os incentivadores também. Isso, tendo como torcida contra os próprios donos do escritório de advocacia onde trabalha – todos homens, obviamente.

Acusados é um puta filme de tribunal, baseado numa história real que aconteceu em um bar em Massachusetts (EUA), em 1983. Jodie Foster, que interpreta a protagonista, ganhou todos os principais prêmios de Melhor Atriz do mundo cinematográfico por esse trabalho: Oscar e Globo de Ouro (EUA), Bafta (Inglaterra), Berlim, David Di Donatello (Itália).

É um filme que toda mulher deveria assistir. Em exibição no Telecine Cult ou nas locadoras.

8 comentários:

Anônimo disse...

Querida Vá,
Este filme é ótimo e melhor ainda é o seu blog.
Os que estupram são, algumas vezes pessoas doente e que precisam tratamento, mas os que olham como se vissem um filme pornô, estes merecem o dobro da pena dos estupradores.
E provocação!!! Se fosse assim não poderia existir campo de nudismo! Ah!
Bjs,
Ana Cristina

Valéria Martins disse...

Ana, esse filme também me deixa indignada. Num primeiro momento, os estupradores são condenados a 9 meses devido a um acordo. Mas a Jodie Foster sofre assédio de um dos caras da "torcida". Por isso, a advogada vai atrás deles e acaba condenando-os também, o que automaticamente faz crescer a pena dos estupradores, para 5 anos. UHUUU!

biatrixx disse...

Pois é, lembro desse filme. Muito bom mesmo. É realmente incrível o que as mulheres tem que aturar.
O pior é que tem muita gente boa que acha q isso é nornmal, que ela queria, estava provocando.
Gosto tb de um filme chamado Irreversivel. Com a mesma temática, só que MUITO mais violento mas com uma estética incrível e uma forma de contar a história que achei barbara, apesar da cena do estupro que é MUITO realista e HORRIVEL.
bjinhos
B

Valéria Martins disse...

Não vi Irreversível porque achei que ficaria impressionada... Eu sou muito impressionável! Mas vou reconsiderar e buscar na locadora. Bjs!

Denise do Egito disse...

Val, esse filme também me marcou muito. Eu também fico impressionada com certas cenas. Lembro que, na ápoca, minha mãe também assitiu e não conseguiu dormir enquanto minha irmã mais nova chegasse em casa. Quanto ao Irreversível, se fosse você desistiria. O filme foi extremamente criticado pela categoria pois se vale da violência em seu estado mais brutal. A mensagem dele é essa: expor a violência sem limites das pessoas. O filme é isso e acabou. Não há tribunais, não há um desenrolar. Fiquei dias sem conseguir dormir. É muito impressionante!!!Há um assassinato bárbaro também. Enfim, prepare-se bem antes desse entreitada. Beijos

Valéria Martins disse...

Deni, depois do que escreveu, já desisti de ver Irreversível... Bjs!

Pablo Lima disse...

"irreversível"?? nem eu recomendo este!

Gabi Galindo disse...

Olá, Valéria!
Assiti ao filme esses dias, e estou fazendo um trabalho sobre ele, gostei bastante do seu blog e principalmente da matéria!
Forte Abraço!

De, Gabriela Galindo.

www.gabigalindo.blogspot.com