terça-feira, 9 de setembro de 2008

Problemas

Não faça a sua felicidade depender do que não depende de você.

A frase figurava em um banner na entrada da clínica de terapias alternativas onde, em algum lugar do passado, fiz formação em massagem ayurvédica.

Procuro sempre me lembrar disso e repito essa frase aos amigos que teimam em vincular sua felicidade a questões alheias a sua vontade e poder. Aliás, a maioria dos problemas estão desvinculados da nossa vontade e poder. Podemos fazer a nossa parte no sentido de resolvê-los, mas são tantas variáveis influindo – inclusive aquelas que a gente nem sabe que existem – que eles têm vida própria – e morte também, graças a Deus!

Como costumava dizer um velho amigo, "A gente pensa que resolve os problemas, mas eles se resolvem sozinhos".

Lógico que os pequenos problemas do cotidiano são mais fáceis de solucionar: ir ao banco, fazer compras, limpar a casa. Mas há também os grandes, que demandam tempo. Ficam encostados em um canto, sabemos de sua existência mas tentamos esquecer porque incomodam, doem, perturbam. De repente, alguma coisa chama nossa atenção para eles e reaparecem em toda sua potência. Cruuuuzes! E o pior: não se resolvem de uma hora pra outra. Temos que aguardar... A vontade dos céus.

Já tive alguns problemas assim na minha vida. Por exemplo, tive que esperar mais de 10 anos para receber o dinheiro da venda de um imóvel; o caso foi parar na justiça. No início, vinculei a minha felicidade e a resolução de várias questões – como a compra da casa própria – ao recebimento desse montante. Quando a grana finalmente saiu, eu já havia comprado a bendita casa própria por outros meios.

Assim, quando um desses big problemas reaparece – e eu fico cega, surda e muda; a garganta e a cabeça doem; o bom humor vai pro espaço; nem de escrever no blog tenho vontade – me recordo de outro ditado, enigmático:

A recompensa da paciência é a paciência...

Também recordo a história da tradição oral sufi, Fátima a Fiandeira, que convido todos a ler... E a refletir. http://www.caravansarai.com.br/ConFatima.htm




7 comentários:

Monica Loureiro disse...

Seu texto é terapêutico, hein amiga ?
Quando a gente naõ consegue dar conta de tantos "problemas" que não dependem da gente resolver, só rezando, mentalizando e visualizando tudo resolvido..
As vezes demora, mas no final quem acredita sempre alcança...

Claudia Goulart disse...

Desejo que tudo dê certo.
Acredito que quando dividimos um problema, uma aflição, a carga fica menos pesada e é mais fácil das coisas se resolverem.
Um grande abraço.

Ita Andrade disse...

você é linda, seu blog é otimo e por isso com muito carinho eu indiquei Pausa do Tempo para o Prêmio Dardo, vem ver...
Super abraço

Lily disse...

Deus, o destino, a moira, whatever... sempre existe uma força maior q acaba resolvendo nossos problemas e nos fazendo mais felizes exatamente pela felicidade depender de cada vez menos coisas!

bjkss

Denise do Egito disse...

Amiga, estou aqui: braços abertos esperando por você. Sempre. Não é para isso que a gente (os amigos) exite também? Me liga!!!!
Beijos

Carolina disse...

Putz este teu post caiu como uma luva. Tudo a ver!
bjos

Pâmela disse...

É, realmente alguns problemas independem de nós. O que é outro problema! É um saco esperar que se resolvam, não?
Mas, se a recompensa da paciência é a paciência, vou tentar ser mais paciente pra ver se isso me ajuda a ser mais paciente...
Hahahahahahaha!
Beijos!