domingo, 28 de setembro de 2008

A arte de dar um fim às coisas

Isso (o título) é algo que aprendi com a maturidade. Porque antes, por falta de confiança em mim, por medo ou por falta de “culhões” mesmo (hoje o mundo exige essa nova parte anatômica das mulheres), eu tinha dificuldade em tomar atitudes – principalmente no campo afetivo. Ia deixando rolar, rolar, embalada por pensamento mágico do tipo: tudo vai se encaminhar, a vida vai arrumar as coisas...

Mentira. Tem horas em que a gente tem que se posicionar. Se não fazemos isso, levamos a pior. Porque diante da nossa inércia, os outros tomam as atitudes que querem da forma que querem. E a gente fica pra trás, comendo poeira, tendo que se adaptar à nova situação escolhida por outra pessoa. Ruim!...

Tomar uma decisão sozinha requer muita coragem... Será que é o melhor pra mim? E se eu estiver enganada? E se eu estiver jogando fora o grande amor da minha vida?... Mas aí a gente tem que lembrar e valorizar nós mesmos. Acho que saberemos reconhecer o grande amor das nossas vidas quando ele surgir, certo?

E tomar a iniciativa de uma atitude radical não implica em sofrer menos. Vamos sofrer, sim... Mas é um outro tipo de sofrimento: não somos vítimas, somos os protagonistas da história. Uma baita responsabilidade, mas assim vamos crescendo e nos afirmando como adultos, donos da nossa vida e do nosso destino.

Assim vou, com fé!

15 comentários:

Carolina disse...

Oi valéria, muito verdadeiro este teu texto.
Acho mais, que muitas vezes na dúvida de tomar a frente e ter atitude em algo que sabemos, no fundo, que caminho vai seguir, qual é o proximo capítulo, passamos a ser vítima da nossa própria insegurança.O medo de arriscar gera inércia.
É preciso romper barreiras e nos testar, às vezes, saímos mais fortes do que imaginávamos.
Muto bom!
Bjos e boa semana

Pâmela disse...

Sim, também acho.
Aliás, acho muitas coisas:
- Que exigem colhões das mulheres;
- Que temos que nos posicionar;
- Que dá mesmo medo de nos arrependermos;
- Que Vai ser difícil;
- Que vamos superar;
- Que vamos reconhecer o amor da nossa vida quando o encontrarmos;
- Que vamos ser muito felizes;
- Que isso só depende de nós.
Mil beijos e muito obrigada pelos parabéns! ^^
Ótima semana!

instantes e momentos disse...

Ótimo post.lindo teu blog. Gostei daqui.
Tenha uma belissima semana.

Maurizio

ana - hoje vou assim off disse...

Verdade! Às vezes gosto de me fingir de morta, mas nem sempre dá certo. Então tb to aprendendo a tomar mais decisões, prefiro que partam de mim do que dos outros. É bem menos frustrante saber que algumas decisões que podem dar certo ou não - como tudo na vida - partiram de gente.

beijos, querida!

Patrícia disse...

Achei esse teu texto muito bom! Reflete exatamente dificuldade e angustias minhas de não conseguir tomar decisões, mas que (com muita terapia)está mudando rsrs

Segue uma letra do Moska da música tudo novo de novo que deu nome ao album. Complementa a tua idéia!

Parabens pelo blog! Adoro ler teus textos.
Uma boa segunda feira para todo@s.
Pat.D.

Vamos começar
Colocando um ponto final
Pelo menos já é um sinal
De que tudo na vida tem fim

Vamos acordar
Hoje tem um sol diferente no céu
Gargalhando no seu carrossel
Gritando nada é tão triste assim

É tudo novo de novo
Vamos nos jogar onde já caímos
Tudo novo de novo
Vamos mergulhar do alto onde subimos

Vamos celebrar
Nossa própria maneira de ser
Essa luz que acabou de nascer
Quando aquela de trás apagou

E vamos terminar
Inventando uma nova canção
Nem que seja uma outra versão
Pra tentar entender que acabou

Mas é tudo novo de novo
Vamos nos jogar onde já caímos
Tudo novo de novo
Vamos mergulhar do alto onde subimos

Valéria Martins disse...

Oi, Patricia!... Obrigada pela letra da música. Eu e o Moska estudamos juntos no segundo grau, antes do vestibular. Gosto muito das letras dele.
Sobre a dificuldade de se posicionar, a gente acaba aprendendo de tanto tomar na cabeça. No campo afetivo, a coisa complica quando a gente está insatisfeita, mas o outro ainda quer, não dá motivos para o rompimento. Difícil dizer "não" a quem te quer! Mas tem que dizer... É triste, mas tem que ser assim. Até para libertar o outro.
Como diz uma amiga: "Sai de baixo desse arbusto que não te dá sombra!"
Beijos, boa semana a todos.

Claudia Goulart disse...

É muito difícil mesmo...
Quantas vezes já perdi o sono ou me angustiei por ficar na dúvida, ou melhor, não decidir!
Sábias palavras.
bj

Patrícia disse...

Nossa Valéria sem dúvida é uma situação bem complicada mesmo. E com isso acabamos nos confundindo também. Chega uma hora que, talvez por medo, não sabemos mais ao certo o que sentimos ou não queremos assumir o que sentimos.
É muito ruim magoar as outras pessoas, ainda mais as que amamos, mas o que eu tenho aprendido é que não podemos nos magoar e deixar de lado nossas vontades e questões. Acabamos nos deixando de lado e muitas vezes nem percebemos.

Que coincidencia essa do Moska.Ele tem algumas letras muito boas mesmo.

um beijo e boa semana!

giovana disse...

...sou a rainha da indecisão na hora de adquirir qualquer coisa ou qualquer relacionamento, mas jogar fora e dar adeus é comigo mesmo...só fico com o que me faz feliz... achei muito bacana o que você escreveu!

Anônimo disse...

Querida Vá,
Adorei o que vc escreveu.
Às vezes,não, sempre é muito difícil se posicionar na vida. Sendo mulher ou homem é complicado abrirmos mão de algo que queremos mas sabemos que nos faz mal, por exemplo.
Ainda acho pior para os homens, pois eles têm que agir assim, nós quando não agimos somos mulheres a sociedade aceita. Nossos "culhones" sempre existiram, apenas estamos mostrando mais de um tempo para cá.
Beijos da amiga,
Ana

Monica Loureiro disse...

Menina,
Este texto veio a calhar pra mim...
Tive que tomar uma posição na minha casa ontem...Temos que sair do papel de vítima para o de "atuante". E foi ótimo...

MELISSA S disse...

Acho que isso tem a ver com maturidade. Ser vítima às vezes é mais fácil por mais que a alma sangre. Já sofri por algo que hoje sei bem que não era amor. Não acredito no "grande" amor de nossa vida. Acredito nos grandes amores pq cada um q passa, seja mal ou bem q faça, deixa uma marca. Aprendemos, seguimos em frente e essa é a vida. Infelizmente, às vezes ainda ficmos estagnadas pelas dúvidas e atormentadas pela necessidade de supor os caminhos a q levarão nossas escolhas. Esquecemos então que existe o imponderável e que pensar demais não necessariamente leva a uma escolha mais acertada.
ps: conheci teu blog hj, mto legal. Bjs, Mel

Pablo Lima disse...

FÉ, CARÍSSIMA! muita fé!
valorize vc. mesma!

Hazel disse...

Novamente, parabéns pela coragem. Não fazer nada, é sempre mais fácil, mas pode custar caro.
Se sentias que era o que devias fazer, então agora cabeça erguida, que o mundo está à tua espera.

Marcia Regis disse...

... libera esse corpo que ele não te pertence! bjs