sábado, 20 de setembro de 2008

Imagens da natureza

Quarta-feira passada, fui à Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, às 10 horas da manhã. Era o primeiro dia de sol após quatro dias de chuva intensa. O chão da praça estava todo elameado, cheio de poças, tive que andar com cuidado para não escorregar e me estatelar no barro.

O motivo da visita é evento que vai rolar no dia 27, sábado que vem, em comemoração aos 80 anos do poema "No meio do Caminho", de Carlos Drummond de Andrade. A partir das 9h30 da manhã, haverá arte educadora e recreadoras orientando as crianças a pintar pedrinhas redondas – por coincidência vindas de Minas, terra do Drummond –, e contadora de histórias acompanhada de violonista. Vamos distribuir balões, chocolates Garoto (apoiador) e marcadores de livros com o poema.

Tudo isso para dizer que no final da visita, enquanto procurávamos um ponto de luz para viabilizar a instalação de amplificadores de voz, a arte educadora me alertou: "olha que coisa linda!"

Numa grande moita de cedrinho, ainda coberta de gotículas da chuva que caíra durante a noite, o sol incidia e acendia dezenas de minúsculas bolinhas de Natal. Ou minúsculas lantejoulas coloridas. Ou minúsculas partículas de arco-íris. Pequeníssimas luzes vermelha, amarela, azul, verde, cintulando sob o sol brilhante que afastava as nuvens naquela manhã de quarta-feira. Ficamos eu e a moça paradas, estáticas, encantadas com aquele espetáculo particular. As outras pessoas se distanciaram e nós ficamos ali. "Nossa, eu nunca tinha visto isso...", ela balbuciou. "Nem eu", respondi baixinho.

Meu celular não tem máquina fotográfica, nem o dela, então, não pudemos registrar. Mas essa vai ficar marcada na memória, junto com outras imagens maravilhosas que tive a oportunidade de presenciar em minhas andanças pelo mundo, quando em contato com a natureza.







E vocês, qual imagem maravilhosa da natureza gostariam de relatar? Deve haver várias, mas a primeira que vem à memória é...

6 comentários:

Pâmela Berton disse...

Nossa, não sei...
Acho que um Ipê rosa (que na verdade, não é ipê, é?) no meio de uma serra no Paraná. Tudo era verde em volta e ele estava lá, inteirinho rosado. Era um dia lindo de sol.
Nossa, lembrei de tantas imagens de serras agora! Dá vontade de contar todas! Mas essas coisas a gente não tem como descrever, não é?

Sim, eu estou bem, obrigada ^^
O Buda Verde comenta sempre no meu blog, foi por isso que achei o dele. Também gosto. É bem sutil.
Beijos!
Bom fim de semana.

Ita Andrade disse...

Vou ficar com essa: "minúsculas partículas de arco iris". Adorei completamente isso!
Quando vc fica poética, é um deleite
Deixei a sua resposta no coment do meu post ok?!

Beijos

Denise do Egito disse...

Em Ibitipoca, onde estive no último fim de semana, vi várias maravilhas da natureza: orquídeas surgidno no meio do serrado, bromélias suspenas em árvores ladeadas por cachoeiras.. mas o que mais me surpreendeu acho que foram os cânions que se formaram dentro do parque. Uma imensidão de poesia bruta e viva!
beijos

Patricia disse...

O que veio em minha mente agora foi uma clinica na qual estive acompanhando meu a umas duas semanas atrás, que era coberta em sua fachada por diversos bougainvilles rosados, belíssimos. Foi uma pena não estar com a máquina naquele momento, mas foi mágico e maravilhoso ver todo aquele jardim sendo "sobrevoado" por uma nuvem rosa de flores

Carolina disse...

Tenho várias, mas a primeira que me veio foi uma mata cerrada no meio da Fazenda de um ex, que embrenhávamos muitas vezes a cavalo. Escuro, silencioso, de vez em quando lá longe um canto de pássaros.Parecia um mundo a parte.Jamais vou esquecer!
bjos e boa semana

Valéria Martins disse...

Hum... Adorei essa floresta silenciosa dos amantes. Que gostoso!...

Dá vontade de ter um blog só sobre esse assunto. Eu adoro falar disso. Gosto gente, mas de pequena eu só desenhava paisagens. Sem figuras humanas. Freud deve explicar.... Bjs