domingo, 15 de junho de 2008

Mulheres com lente de aumento

Fui assistir ao filme Sex and the city no sábado à noite com duas amigas muito queridas. Esse é um filme para se assistir com amigas. O que não quer dizer que não seja indicado aos homens, principalmente àqueles interessados em compreender melhor as mulheres. Porque nós somos... um enigma muito divertido!!!

O cinema inteiro ria o tempo todo. É impossível não se reconhecer nas personagens. Há um pouco de Carrie, Samantha, Miranda e Charlotte em cada uma de nós. Por isso o seriado fez tanto sucesso. E o filme é como um longo episódio, mas com diálogos SENSACIONAIS que refletem exatamente como funcionam a alma e a psiquê femininas.

Nós reclamamos dos homens, mas eu mesma tive que reconhecer: em alguns momentos perdemos a cabeça e agimos como loucas! E os homens adoram nos chamar de loucas quando brigam com a gente. Eles tem razão. Uma mulher à beira de um ataque de nervos é capaz de coisas inimagináveis! Almodóvar bem sabe disso e explorou nossas idiossincrasias em seu magnífico filme, que é uma homenagem às mulheres: vaidosas, fortes, guerreiras, mas também piram na batatinha em determinados momentos ou fases.

Eu, por exemplo, me reconheci bastante em Miranda, como retratada no filme. Pobre do meu ex-marido, antes de nos separarmos eu estava daquele jeito. Não foi à toa que o casamento acabou! Hahaha...!

O filme também mostra a beleza da amizade feminina. O carinho, a doação, o amor que somos capazes de dedicar às nossas amigas. A cena em que Samantha dá comida na boca da Carrie me levou às lágrimas. A sequência em que uma sai de casa correndo, em cima da hora do Ana Novo, só para não deixar a outra passar a meia-noite do dia 31 só e desamparada, é emocionante.

A relação com a moda, com o amor, com os homens, com os filhos, está tudo lá. Com lente de aumento – para o bem e para o mal. Vale a pena assistir como um "toque". Estamos sendo legais com nossos homens agora? Ou estamos pirando na batatinha?

Alguns homens sabem muito bem como dar limite às piradas femininas e as mulheres AMAM esse limite. Nós precisamos dele e sabemos disso! Mas quando o homem deixa rolar frouxo... Bem, aí, recomendo aos homens que assistam ao filme. E tirem suas próprias conclusões.








4 comentários:

Claudia Goulart disse...

Não vi o filme e provavelmente não verei tão cedo (só quando sair em dvd) mas acho que nós ficamos exigindo mundos e fundos e não reconhecemos nossas "pirações".
Temos desculpa para a TPM, para o dia-a-dia agitado e esquecemos que nosso parceiro tem seus problemas também e que precisam de colo de vez em quando.
Já está na hora de crescermos!
Mas sem perder a ternura, certo?!!!
bjs,

Ana Carolina disse...

As meninas aqui da agência me chamaram de Miranda. Depois disso eu to mudando meu jeito de ser...hehe!

Nina disse...

Mulher é bicho doido mesmo. E é também por isso que o seriado fez muito sucesso. É engraçado olhar de fora como se estivessemos nos olhando em um espelho, nossas carências, nossas fantasias, a loucura por sapatos ou bolsas, o medo do desconhecido, a realização de um filho. Tá tudo ali, e a autora da série retratou com muito humor e sensibilidade tudo aquilo que nós mulheres somos em todos os dias da nossa vida.

Marcia Regis disse...

Vavá,

Estou ouvindo aqui a trilha do filme, comprei, é muito boa! bjs