sábado, 16 de maio de 2009

Um choro genuíno

Um choro genuíno é aquele que surge sem respeitar hora ou lugar, mas com motivo. Não precisa de imagens tocantes ou de uma música que lembre situações passadas para despertar; está ligado ao presente. Não tolera a repressão da gente, que não gosta de ser visto em situação de fragilidade na frente dos outros, e ganha nossa cara diante de quem quer que seja, tão livre e violento que não pode ser escondido, não dá para ser contido, e se mostra com todo o seu descontrole impactando que se aventure a encará-lo.

Ontem, esse choro aconteceu na fila do supermercado. Um monte de gente em volta, todos com pressa, cansados, olhar perdido. O meu choro acordou todo mundo. Eu não gritei ou me descabelei, simplesmente chorei. Quieta, no meu lugar, mas deixando fluir toda a dor e tensão acumuladas. As pessoas olhavam, se entreolhavam, interrogações nos rostos, pesar, pena, vergonha, desconforto. Cada um reagiu reagiu de alguma forma.

A funcionária do supermercado, que controlava a fila, demonstrou surpresa e abriu espaço para eu passar, tinha chegado a minha vez. A moça da caixa não viu, a empacotadora não percebeu, entrei no táxi e o motorista começou logo a contar uma história engraçada. As lágrimas cessaram.

Ao fim da corrida, ele desejou um ótimo dia e que eu ficasse com Deus. Agradeci e procurei cumprir à risca o que sugeriu.




13 comentários:

Andrea disse...

é "engraçado" qdo isso acontece e como as pessoas reagem .Me lembrei com esse seu post que uma vez ha muitos anos atrás ,quando eu ainda fazia faculdade,aconteceu qualquer coisa na escola e resolvi passar o fim de semana em casa.Peguei o onibus eram 3 horas de viagem e chorei a viagem toda.Tinha um cara sentado do meu lado ,o homen foi incapaz de me perguntar se eu estava sentindo alguma coisa ..Só lembro que cheguei em casa bem com a alma lavada .. Espero que o seu choro tenha também conseguido fazer vc sentir melhor ...fica com Deus

Paloma Flores disse...

Que lindo. Tão delicado seu texto.
Às vezes vem mesmo uma dor tão profunda, que a gente chora, como você disse, genuinamente.
Muito doce o motorista do taxi.
Um beijo!
E continue com um bom dia e fique com Deus! =)

Pablo Lima disse...

dou-te um belo par de ombros...

Babi Mello disse...

Choro que não marca hora não marca lugar, simplismente acontece e hora por tristeza, hora por felicidade. O que me chateia nessa sua história e na da Andrea que às vezes as pessoas estão tão preocupadas consigo mesmas que são incapazes de olhar para o outro de ajudar o outro.
Bj!

Lauren - Moda Trash disse...

Nossa, Veléria, que louco! Sabe que em março tive um choro genuíno, pois assim como escreveste, odeio chorar na frente dos outros pois para mim isto significa fragilidade. Mas foi incontrolável. Quando vi, lágrimas rolavam aceleradamente em meu rosto. E não foi a 1ª vez.
Bom, apesar de tudo, confesso que o alívio que senti depois foi maravilhoso. Parecia q estava com um punhal cravado no peito de tão pesado e doloroso a sensação e que depois do choro, andava nas nuvens.
Não só espero, mas tenho certeza que o choro lhe fez melhor, mesmo nas circunstâncias em que passou.
bjokasssssssssss

Mônica disse...

Claudinha
Dizem que o choro lava a alma.
Com carinho Monica

Mônica disse...

Valéria
eu estou parecendo a mamae mudando seu nome toda hora. Que coisa mais velha.Tenha um bom dia
Com muito carinho Monica

Adriana Calábria disse...

Uma vez, tem muitos anos, eu estava num choro imenso em plena rua. Era tanto choro que um homem chegou e perguntou: "Moça, morreu alguém da sua família?". Fiquei sem graça...

Quando eu preciso chorar, eu choro mesmo, onde estiver. Senão me dá uma sensação de opressão.

Chorar é um alívio pra alma.

Fique bem!

Abração.

Ylana disse...

Chorar exige muita coragem. Mais ainda em público. Espero que as lágrimas tenham aliviado seu sofrimento.
Eu ontem chorei de alegria... nunca tinha experimentado esse sentimento.
...

Heloísa disse...

Valéria,
Espero que o choro tenha lhe trazido o alívio que você estava precisando. E que o motivo dele já tenha sido superado (ou entendido).
Beijos

Lisa Nunes disse...

Valéria, isso me aconteceu na semana passada, quando saía do cinema com meu namorado, ele ficou sem entender nada, mas acho que uma cena me tocou muito e chorei por tudo que havia me causado estresse e tensão nesses ultimos dias. Entendo perfeitamente o que você disse, e as vezes é necessario colocarmos tudo pra fora. Depois dá um alíííívio... não é mesmo? Um grande abraço pra você

Halime disse...

Esses momentos são muito necessários e é muito bom quando, apesar de não entenderem, as pessoas respeitam as lágrimas que escorrem. Pra me sentir mais confortável, virei adepta dos óculos escuros para momentos assim. E é impressionante como palavras como "vai com Deus", "tenha um bom dia" são capazes de alimentar a alma. bjs e fique bem!

Anônimo disse...

Por onde eu andei que não a encontrei ?