sábado, 8 de maio de 2010

Karma

Segundo a tradição da Yoga, não podemos alterar nosso karma, mas, sim, aprender a conviver melhor com ele. O que acha disso?

Isso é como um livro que você escreveu e não pode apagar mais. Claro que podemos apagar o que escrevemos. Eu digo: sim, é possível modificar um karma, mudar o destino. Para isso, temos o livre arbítrio.

A breve entrevista publicada na revista Prana Yoga Journal, à venda nas bancas, com Joseph Michael Levry, fundador do Naam Yoga, que combina os ensinamentos da cabala e do Yoga, ficou reverberando dentro de mim.

Concordo? Não concordo?

Fiquei alguns dias observando e refletindo sobre a vida humana. (Não sei a utilidade disso, mas não consigo ser de outro jeito).

karmas impossíveis de mudar. Uma pessoa que nasce com nanismo - palavra politicamente correta para anão - terá que conviver a vida inteira com isso. Não existe tratamento que faça um anão crescer.

Mas todos nós que tivemos a infância marcada por perdas ou faltas - e não há ninguém sobre a face da Terra livre disso - podemos, sim, reescrever o livro do destino.

Dá um trabalho!... Mas se não o fizermos, o que mais vale a pena?


11 comentários:

Babi Mello disse...

Valéria interessante e sabe nunca havia pensado sobre isso e de verdade tem coisas que não pode ser mudada, infelizmente e outras cabe a nossa persistência mudar.
bj e feliz dia das mães para você.

Gerana Damulakis disse...

Mudanças,traçar o caminho, ser surpreendido pelo acaso: é tão complexo entender. O acaso me assusta tanto que tento ganhar essa corrida contra ele.
Desculpe, viajei no tema.

Laís D'Andréa disse...

Sabe que tenho pensado muito sobre isso ultimamente? Às vezes, crer na imutabilidade do destino é um alívio; outras vezes é um fardo insuportável. Mas acredito que a maioria das coisas dependem do modo como olhamos. Podemos aprender a conviver com o que não pode ser mudado e dar o melhor de nós para transformar nossa vida e não fazer dela uma fonte infinita de reclamações. Atribuir tudo ao "destino" é querer livrar-se de uma responsabilidade que é nossa. Grande beijo!

Ita Andrade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ita Andrade disse...

Oi Valeria!
Não sei por que uma pessoa nasce com uma deficiencia física, por ex., mas sei que não é culpa dela. Não posso acreditar em Karma como uma medida de punição por algo cometido em uma vida passada, a menos que se pudesse ter total consciencia do que exatamente praticamos. Nem os cachorros que adestro podem entender uma punição que não venha imediatamente seguida da infração, nem o homem aceitar passivamente, pagar pelo que não lembra que cometeu. Isso não funciona e não é justo. Não posso crer em Deus se este não for a essencia da justiça. Um pai amoroso não castiga seu filho sem explicar porque esta sendo castigado. O primeiro movimento para transformação é a consciencia. Acredito que as pessoas que vivem sob circunstancias adversas, desde uma ma formação, passando por todo tipo de trauma ate as maiores perdas tem um campo muito mais fertil para colher frutos melhores. Creio que estas pessoas são forçadas a serem de alguma forma superiores. Não tenho em que me amparar para acreditar em vidas passadas, entretanto nada aqui me faz sentido se não acreditar que são infinitos os mundos de Deus daqui adiante e que esta vida so é uma escala para um voo muito maior. É nisso que eu acredito
Um abraço forte

Adrianne Ogêda disse...

Também concordo com a sua "não concordância" mas as vezes fico pensando... mesmo as experiências difíceis são transformadas porque coisas inesperadas nos acontecem.. encontros, apoios, experiências fortalecedoras. Acaso? Só nossa ação mesmo? Um pouco de destino? mistérios... bjos Val

Fernandes disse...

Bom,
Eu sou responsável pela minha vida.(Escolhas, ações, reações, consequências e sentimentos...)
O uso do meu discernimento irá conduzir a minha caminhada entre alegrias e tristezas.
Acredito com veemência que podemos transformar,renovar e reconstruir o Karma.
A força da prova não é restrita apenas ao físico.
Enfim,mais uma vez...
O que vale são os bons sentimentos.
Boa tarde!

Neide disse...

Embora eu acredite que o livre arbítrio, nos foi dado exatamente para que cada um possa escolher os rumos que quer dar à sua vida,existem fatos, contecimentos na vida das pessoas que fica claro que não estavam no "script" digamos assim, ninguém entende o porque... Aí vem as interpretações: foi o destino, é karma, é sorte, foi coincidência,deu azar,obra do acaso, e por aí vai....
Como há muito mais mistérios entre o céu e a terra, do que supõe a nossa vã filosofia....é melhor se preparar caso o "destino" resolva interferir, como disse a Laís: aprender a conviver com o que não pode ser mudado dando o melhor de nós
Bjusssssssss Val

Mônica disse...

Reescrever o livro do destino. Não é facil , para quem teve uma infancia normal, seguir a vida com certa normalidade imagine pra quem teve os problemas mais terriveis?
Com carinho Monica

figbatera disse...

Pois é, essa coisa de "karma" é meio duvidosa; algumas coisas podem mesmo ser mudadas, outras não - principalmente no aspecto físico, como disse a Valéria.
Interessantes as ponderações da Lais, Ita e Neide (que concordou com a Lais).

Monica Loureiro disse...

Alguns karmas são pesados e imutáveis mesmo...
Mas outros , a gente pode ir "reescrevendo", "passando a limpo"...