sábado, 6 de fevereiro de 2010

Com efeito

Fui assistir à peça Restos, com Antônio Fagundes, no teatro. Não fui eu que escolhi, ganhei de presente de aniversário. Mas fui feliz, pensando na minha avó Violeta, que era apaixonada pelo ator. Dizia:

- Ele é muito simpático.

- Como assim, vó? "Simpático"?

- Ah, assim... Simpático.

Nós morávamos no Jardim Botânico em um prédio com muitos apartamentos. Era uma grande família. Eu tinha um amigo que ficou sabendo da preferência da vovó e sempre que ia lá em casa perguntava:

- E aí, Dona Violeta! Como vai o Fagundão? - ele esticava o "ão" de propósito e ela ficava encabulada, mas sacudia de rir.

Na peça do dramaturgo norte-americano Neil LaBute, o Fagundão está muito bem: corpo enxuto, cabelos brancos, muito ágil e bem charmoso apesar dos 60 e muitos. Ele está sozinho no palco em um monólogo no qual lamenta a perda da mulher, 15 anos mais velha, seu grande amor há 30 anos. (O final guarda um segredo que sacode e choca a platéia).

Logo no início, o personagem repete sem querer um cacoete de fala, a expressão "com efeito". Ele se repreende por repetir essa "expressão de velho" ao fim de cada frase, mas continua repetindo-a até fim da peça.

Escutar o ator falando "com efeito" despertou algo lá no fundo da minha memória... Depois da segunda e terceira vez, eu me lembrei: sabem quem usava essa expressão seguidamente, ao fim das frases, como uma ênfase? A minha avó Violeta!

Ao fim do espetáculo, Antônio Fagundes agradece as palmas, pede cinco minutos para tomar um banho e trocar de roupa, e volta para um papo com a platéia. Muito generoso! Não perdi a oportunidade. Levantei o braço, pedi para falar e contei:

- A minha avó era sua fã... - no meio do discurso a voz tremeu de emoção, mas eu dei o recado.

Fagundão sorriu, disse que em inglês a expressão usada pelo autor é "indeed" e eles quiseram trocar por uma expressão antiga como... "com efeito".

Só sei que a Violeta estava presente, de alguma forma, nessa noite na platéia do Fagundão. E ele, de fato, é muito simpático.

9 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Valéria: como sou uma boba, vou confessar que acabei chorando. Foi linda a homenagem que você fez para sua avó ( e que coincidência). Você tinha mesmo que ir à peça. Com efeito.

Mônica disse...

Sua avó é como eu. Eu adoro o Antonio Fagundes, o Toni Ramos e Tarcisio Meira.
Sempre pedia para irmos na antiga TV Globo para ver se os via. Nunca vi.

Mas que eles são os mais simpáticos até hoje eu concordo.
E que conto delicioso.
E onde ela estiver deve ter dado risada da coincidencia boa.
E voce falou para ele.
Eu adorei sua coragem.
Com carinho Monica

Rafhaael disse...

a minha dizia que ele era um "pão".

... disse...

Opa! Fagundão bom ator ...
Não quis saber da Lei anti fumo, não fez questão do patrocínio ...p/encenar monólogo.
Vale a pena assistir. Eu gostei masss mas masss...

Coração aparvalhado diz p/Coração Assertivo
"Pois o belo muda, o saber muda, a inteligência muda, a medida muda. Mas o desejo é inalterável".(Rubem Fonseca)

Boa tarde!

Neide disse...

Val,
Eu adoro Antonio Fagundes,cada ano que passa ele fica mais charmoso, mega simpático, um ótimo ator..

Estou planejando ir a Sp em março, espero ter a oportunidade de vê-lo no palco novamente.

Mulher de bom gosto esta D. Violeta!!!

Bjus

Érico Cordeiro disse...

Valéria,
Fagundes e José Wilker são unanimidades inteligentes, contrariando o querido Nélson Rodrigues.
Pena que na televisão os personagens sejam tão esquemáticos, caricaturais - a tevê brasileira, com a honrosa exceção das miniséries é de uma indigência atroz!!!
Daí que só no teatro se pode ver um artista desse gabarito em toda a sua integridade e força criativa.
Com efeito, ele é dos grandes e o seu texto é delicioso - deu vontade de assistir!!!
Uma ótima semana prá você e pros amigos do blog - abração a todos!

Valéria Martins disse...

A Denise do Papo Calcinha perguntou se ele não ficou melindrado por eu dizer que a minha avó, que já morreu, era fã dele... Vocês sabem como é o ego dos artistas, né? Confesso que na hora em que eu disse isso, ele estremeceu... Mas deu a volta por cima com muita simpatia.

Beijos em todos vocês!

Andréa Lion disse...

é um grande ator!
bonito texto, valéria!
bj

Rosane Queiroz disse...

Oi amiga

nao entendi o "com efeito", a pessoa diz essas palavras mesmo?
acho que nunca ouvi...
deve ser muito legal a peça, hein?

saudades, ce me adicionou no skype?
to online agora, quer entrar? beijos, RO