sábado, 11 de julho de 2009

Never give up and luck will find you

Filme antigo também dá bom caldo. Nesta sexta-feira, minha filha levou para casa A história sem fim (1984), baseado no livro do escritor alemão Michael Ende, publicado em 1979. Sempre tive implicância com esse filme por causa dos efeitos especiais e bonecos toscos. Mas dessa vez, passada a irritação inicial por esse motivo, minha atenção foi capturada e revê-lo foi uma ótima surpresa.

O filme é uma metáfora do nosso caminhar na vida. Os perigos que nos rondam, as armadilhas. E por mais piegas que possa parecer, está tudo lá. Vejam um breve roteiro:
  • Nada está destruindo o reino de Fantasia. Onde passa não restam escombros, mas simplesmente nada.
  • A Imperatriz, ao mesmo tempo, está doente e irá morrer. Somente um bravo guerreiro é capaz de encontrar a cura. Um jovem se apresenta. É um menino de uns 11 anos. Porém, é avisado: terá que partir só e sem armas. Somente com seu cavalo.
  • A primeira etapa é atravessar o Pântano da Tristeza. Se parar de andar, afunda. O cavalinho não consegue superar. Atreyu, o jovem guerreiro, faz tudo para puxá-lo, mas só o animal pode de fato querer e fazer os movimentos para sair. Ele não faz e...
  • Ao consultar uma velha tartaruga no meio do Pântano, Atreyu descobre que ainda faltam milhas e milhas para chegar onde necessita. Ele tem consciência de que não vai conseguir, mas continua andando até cair de cansaço e ferimentos, mas...
  • ... É resgatado pelo dragão da sorte, que diz: “Nunca desista e a sorte encontrará você” (título desde post).
  • O próximo desafio é atravessar um portal onde “aqueles que não confiam em si mesmos” perecem. Atreyu vai em frente.

No fim, descobrimos que o Nada avança sobre o reino porque as pessoas perderam suas esperanças e se esqueceram dos seus sonhos. Fantasia chega a virar pó, mas resta um grão de areia e a partir dele tudo é reconstruído - de um jeito que vocês têm que assistir ao filme para saber. Recomendo!

E façam vista grossa para os efeitos especiais toscos. O conteúdo é ouro.



3 comentários:

Babi Mello disse...

Os efeitos visuais são toscos mesmos, nossa nem se fala. O que mais eu lembro desse filme o menino voando por ai em seu dragão. E é verdade quando perdemos a esperança a fé, perdemos tudo, afinal é isso que nos move.
Bj!

laís D'Andréa disse...

Acho que está na hora de eu ver esse filme também. Afinal de contas, lembrar da sorte não faz mal a ninguém, não é? Grande beijo!

Mônica disse...

Eu adoro filme assim ,porque assim posso ir com meus sobrinhos e aproveita-los enquanto ainda gostam.
Com carinho Monica