sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Simplesmente Maysa


Diálogo sensacional entre Maysa e segundo o marido, o espanhol Miguel Azanza, na minisérie de Manoel Carlos que termina hoje (sexta-feira):

- Maysa, você me humilhou, me espezinhou, me fez de palhaço... O que você pensa que eu sou?
- Não me pergunte o que eu penso de você, porque você pode não gostar!

Hahahaha!...
Agora, vejo que Maysa foi uma mulher muito avançada para sua época – como a maioria dos artistas incompreendidos: transava com quem queria, trabalhava duro para ganhar sua própria grana, nunca ligou para a opinião dos outros.

Mais de uma vez ela aparece empurrando, literalmente, o cara da vez num sofá ou cama e sobe em cima dele. Ela come o cara! Eles parecem gostar. Ou então, usa subterfúgios para conseguir o que deseja, como na cena em que surpreende o namorado Ronaldo Bôscoli paquerando uma mulher num bar. Vai até lá, esculhamba os dois, a mulher sai com o rabo entre as pernas. E ela para o Bôscoli:

- Vamos para o hotel agora!
- Não vou, é cedo para mim.
- Se você não for comigo agora para o hotel, eu não gravo a sua música!

Lógico que ele vai. Correndo...
A comentada cena em que a cantora visita o filho doente no colégio interno – onde ele passou 10 anos sem voltar para casa nem nas férias! –, e se recusa a beijá-lo para não contrair a doença e estragar a voz, tem justificativa muito atual. O cenário é o dormitório do internato na Espanha, com os leitos todos vazios, e Jaiminho (que vem a ser o diretor da minisérie, Jayme Monjardim, filho da cantora) é a única criança, deitado sob as vistas do responsável pelo colégio.

- A mamãe não pode te levar com ela porque a mamãe trabalha, e muito! Aposto que as outras mãe que levaram seus filhos para casa não fazem nada e têm marido para sustentar. Mas eu não tenho. Preciso trabalhar para viver e pagar os seus estudos!

Deve ter sido muito duro pra ele dirigir essa minisérie. Mas valeu a pena, porque está espetacular!

8 comentários:

Pâmela disse...

Eu também estou assistindo à série. Ela era louca. Mas só porque não era compreendida pelas pessoas do seu tempo.
Ela era considerada desregrada e anormal porque não seguia os padrões da sociedade da época.
Ela sabia o que queria.
Um beijo!

Babi Mello disse...

É verdade a série esta sendo espetacular mesmo, a edição, a interpretação da Larissa Maciel, o elenco, o texto tudo de muito bom gosto. Mas, acredito que mesmo sendo uma mulher além do seu tempo ela pensou mais em si do que nas pessoas que a amavam.

COLCHA DE RETALHOS disse...

caramba foi duro pra mim assistir a cena do filho pedindo para maysa leva-lo e é pq eu nem sou mãe!
mas tá perfeita a minisserie.
xeros!

Heloísa disse...

Valéria,
Só pude assistir aos dois primeiros dias da série. Minha expectativa era bem maior. Mas, pelos comentários, de repente eu teria gostado se tivesse continuado a ver.
As músicas são lindas.
Beijos

Calabresa disse...

Uma palavra define Maysa: Intensidade!

Ana Carolina disse...

Ai Valéria, essa cena do Jayminho doente e ela se recusando a levá-lo me deu uma dor no coração...chorei. cacete. Acho que NADA justifica largar um filho assim. NADA!!!! eu to adorando conhecer a figura da Maysa, mas não justifica isso que ela fez com o filho. Eu não sabia q ele ficou no internato 10 anos direto!!!! Meu Deus....q triste.

A verdade é q a vida e a carreira dela estavam acima de tudo e todos. Mas sabe o q não entendo? Por que quase não ouvimos falar de Maysa? Se ela foi esse estrondo, esse sucesso, esse escândalo todo?? pouquíssimas pessoas ouviram falar dela...q estranho!

Beijcoa!

Vanderhugo disse...

Eu tbm achei a minissérie espetacular. Principalmente pela atriz que interpreta Maysa. Pensei que o Jayme Monjardim iria amenizar... fiquei com a imprensão de que ele guarda grande mágoa da mãe... agora, vida pessoal à parte... que artista!

Marisa Pimenta disse...

Nossa Valéria, vc acertou em cheio. Faço minhas as suas opiniões sobre a excelente série. Me emocionei mto ao pensar como o Jaime conseguiu dirigir as cenas em q ele é tão sofrido. Acho q ele realmente fez uma grande catarse mostrando p o Brasil a mãe q ele teve. Não podemos ter a mãe q desejamos, ele deve ter sofrido horrores , mas foi super digno no programa altas horas qdo disse e quase chorou q precisou se anestesiar p dirigir algumas cenas! Imagino como esse cara sofreu. Parabéns p alguém tão especial.