sábado, 8 de novembro de 2008

A força de uma poesia

Ontem à noite, o escritor Rubem Alvez lembrou trecho do filme O carteiro e o poeta para dar exemplo da força que uma poesia pode ter.

No filme, existe uma senhora, dona de um restaurante, que tem uma neta, uma moça muito bonita. Um rapaz da aldeia é apaixonado por ela e a velha vive a vigiar os dois...

Certa noite, a jovem demora a chegar em casa e a avó fica louca de preocupação. Mal sabe que estão juntos na praia, mas na maior inocência, sem fazer nada demais.

Assim que ela retorna ao restaurante, a avó pergunta:

– Aonde você estava?
A moça conta a verdade.
– Ele fez alguma coisa com você? – continua, sacudindo-a.
– Ele me disse uma poesia...

A velha suspira:
– Então, você está perdida...


7 comentários:

Calabresa disse...

Alguém um dia me recitou "Máscaras" do Menotti del Pichia, inteiro!
No final, estava completamente apaixonada...

Ita Andrade disse...

Já caí nessa tambem, muitas vezes e depois de cair...ah! deitei e rolei!!!!
Aqui tenho um poeta de plantão...Sem poesia não dá não!
Beijo, minha querida!

Carolina disse...

Puxa, ainda não conheci, ou melhor, me encantei com alguém poético.
Quem sabe?
Que venha...

bjos meus

Monica Loureiro disse...

Lindo,
adorei ..
Fez um bem enorme....Vou mandar pra uma amiga minha, professora de português....

Fabio Fernandes disse...

Dizem que um olhar diz mais que mil palavras. Mas a poesia causa mais efeito que o toque pois, o toque é momentâneo e a poesia, infinita.

Bjokas.

ana - hoje vou assim off disse...

Minha amiga, voltou mais poética do que nunca! Quanto ao tutu à mineira, que inveja branca de vc...estou numa dieta ferrenha, sem poder comer gluten e derivados de leite...buááá!!

Mas tudo pelo projeto verão! hahaha!

Beijos, saudades!

Da Silva disse...

É uma pequena que seja tão difícil encontrar alguém que aprecie. Ah, tantos e tantos Vinícius de Moraes decorados de cabo a rabo e ninguém que quisesse escutar...