sexta-feira, 16 de julho de 2010

O mar, o amor

Certa vez, alguém me disse que quando sonhamos com o mar, este representa o amor.

Eu costumo sonhar sempre com o mar. Às vezes está calmo, raso e claro. Outras, está agitado, escuro e perigoso, e eu luto para sobreviver.

Não sei se o mar, em sonhos, representa o amor. Mas sei que o amor, quando surge, amedronta como o mar bravio.

É curioso, porque pedimos por ele, todo mundo está sempre em busca do amor, querendo formar um par. Mas quando aparece...

Acho que o amor amedronta porque nos fala de mudança e entrega. Somos capazes de nos deixar levar pela correnteza, nos afastar da costa, porto seguro, sem saber onde vai nos levar, se a uma ilha ou a outro país, desconhecido?

É assustador mesmo. Um teste de coragem e flexibilidade... Uma aventura cujo prêmio pode ser a felicidade.


10 comentários:

Mônica disse...

Valéria
Um tanto de gente hoje falou sobre amor. E eu estou lendo um livro do Paulo freire com este tema.
E um pouquinho chato mas vou terminar é Zafir.
com carinho Monica
Eu não sonho! Muito raramente.
Mas sonhar com o mar dá medo. Só se o sonho for vendo o mar.

Babi Mello disse...

Valéria que texto legal e cheio de incertezas e de fato vivencio isso na minha vida... continuar em minha posição ou mudar....
Mas Deus sabe o que faz.
bjs meus!

Sergio disse...

Valéria, detesto essas comparações bobinhas "quem é mais isso ou aquilo, o homem ou a mulher?". Porém nesse caso a explicação é genética. Homens se atiram mais sem medo – até porque, se der errado, a maioria pensa: “e daí, pelo menos, comi”.

Me aproveitando de sua comparação com o mar, vide a metáfora do surfista!

E a mulher, mesmo com toda a pílula, por questões biológicas instintivas que estão cimentadas na raiz de seu dna, elas crêem que tem, muito mais a perder.

Pra fechar, minha tese é a seguinte: o que marcará um salto na evolução do nosso gênero, é quando soubermos reconhecer e separar o bicho homem do ser humano.

Gerana disse...

Bela crônica, V.
E quanto ao amor, sempre queremos o amor, mesmo quando vem acompanhado do medo.

Ita Andrade disse...

Curioso! sabe que eu nunca tive medo do mar? será por isso que nunca tive medo de amar?
Sabe, até encontrar meu grande amor eu corri todos os riscos, paguei todos os pedagios e assumi todas as consequencias... Encontrei!
Eu gosto da sua cabeça.

Valéria Martins disse...

Queridos, que lindos depoimentos!

Obrigada a todos.

Vou viajar hoje e retorno na terça-feira à noite. Semana que vem vou comentar todos.

Beijos, bom fim de semana!

Célia Regina disse...

Olá... estou a correr com as ocupações do trabalho, mas, ainda tenho um tempinho para sentir saudades das coisas boas da vida. Há!braços

olney disse...

Encarar um novo amor é mesmo um salto no desconhecido.
Coragem, e "pé na tábua"!

Valéria Martins disse...

Hahaha... O Fig entendeu tudo... Obrigada pela força!

Fernandes disse...

É bem feito p/aprender ,Zé...rs

Bom , o que posso dizer ?

Encara e vai fundo...

Estou sempre na torcida...