quinta-feira, 10 de junho de 2010

Viver as histórias

Uma amiga solteira há bastante tempo me confidencia que vai viajar à Europa para encontrar um homem.

- Que maravilha! - digo.

- Mas ele é casado.

- Ahh...

- Não importa. É só uma semana. Ele vai arranjar uma desculpa e vamos viajar pelo país. Só.

Fiquei pensando e consegui enxergar a situação através dos olhos dela. Eles se conheceram num congresso. Ficaram juntos. Ele a convidou para ir ao seu país, que ela não conhece. Uma semana de diversão. Ninguém vai separar de ninguém, só diversão. Entendi.

Essa é uma possibilidade de levar a vida quando não se está casado ou namorando: viver as histórias que surgem, extrair o melhor delas, permitir-se ser levado com a onda até o fim, até essa onda quebrar na praia - às vezes suavemente, às vezes com estrondo. Mas viver.

A outra possibilidade é manter-se firme no lugar, sem arredar muito o pé, observando e esperando que algo que realmente valha a pena apareça.

Sei lá, tenho visto as duas experiências e concluo: melhor é viver. Há o risco de sofrer, se chamuscar, se decepcionar... Mas também de acertar e ser feliz. Isso, pra mim, é viver.

E vocês, o que acham?


12 comentários:

Babi Mello disse...

Valéria uma situação bem complicada e não sei se teria coragem, de viver emoções dessa forma.
Bj e Boa semana

Heloísa disse...

Valéria,
Juro que acho complicado aceitar essa situação. É viver tendo o prazer por meta, não importando a forma de alcançá-lo.
Penso, também, que a mulher sempre tem expectativas, e não se contenta com uma única semana.
bjs

Djabal disse...

Um texto envolvendo situações complicadas e um resultado simples e belo, como deveriam ser todas as coisas. Encaradas com leveza, calma e sem expectativas. Gostei bastantes. Felicidades.

Célia Regina disse...

Oi, Valéria...
1. Gosto muito do seu blog, mesmo com poucas imagens. Faço uso de imagens para aliviar um pouco os olhos dos leitores. Mas,repito: gosto muito do seu blog.
2. Sobre a sua postagem: Viver é também fazer escolhas acertadas. Essa é parte mais dificil das nossas vidas: acertar as escolhas. Mas, penso que envolver-se com um homem casado, de cara, seja uma escolha arriscada. Sobre riscos, há tempo para todas as coisas: correr riscos ou fugir deles.

Mônica disse...

vALÉRIA
VOCE PRECIA VOLTAR A sÃO jOAO. LÁ TEM TODA MINAS GERAIS. ARTESANATO, IGREJAS, HISTÓRIAS
E TIRADENTES uma cidade para descansar. Penso que seus filhos iriam gostar. E uma fazenda! Tem até cavalo para nadar. O sapato tem que ser tenis.
E as roupas bem confortaveis.
E a comida deliciosa. Tem diversas pousadas,
Se vierem peço para minha prima que foi recentemente me dar o nome da pousada em Tiradentes.
VOU COLOCAR AS FOTOS MAS PRIMEIRO TENHO QUE FALAR SOBRE SANTO ANTONIO DO AMPARO E SANTO ANTONIO DE PÁDUA. DUAS FESTAS DE MINHA CIDADE
COM CARINHO MONICA

Neide disse...

Val,
Que "saia justa"...Como disse a inesquecível Clarice Lispector: Viver ultrapassa qualquer entendimento,concordo plenamente com ela. Sem intenção nenhuma de entender o "viver" de sua amiga ou questionar seu desfecho leve e descomplicado para um assunto tão complexo,procurei colocar-me no lugar dela, depois no lugar da esposa, tive a ousadia de tentar pensar como se fosse o homem...Sinceramente, a minha conclusão foi a mais simplista possível e até me supeendi com ela: Se não vai magoar ninguém, causar sofrimentos, frustrações, a única expectativa é aproveitar a oportunidade(ela é uma mulher livre, pelo jeito ousada)que seja!!!
" Viver e não ter a vergonha de ser feliz, cantar e cantar....

Bjussssssssssssss

Gerana Damulakis disse...

Eu não viveria essa emoção (sequer vejo como emoção), sou exclusivista.

Mônica disse...

Valéria
A gente nesta vida ve de tudo um pouco até viajar para procurar um namorado.
com carinho Monica

Fernandes disse...

Sou Zé p/essas situações atrapalhado e nem capacidade p/tanto tenho...
Não viveria.
Prefiro ficar direitim,prezo a lealdade.


Mas cada um sabe de si, o que eu sei ,é,o tratado não é caro ...
E p/quem servir Paulo Coelho diz" quando a vida apresenta desafios o negócio é encarar"...

Adrianne Ogêda disse...

Oi querida,
Gosto de viver, me envolver, me relacionar e não consigo viver isso me sentindo atropelando pactos, sentimentos meus e de outros. Só caberia se, no meu entender, de fato, todos os envolvidos não tivessem expectativa de serem exclusivos. Será que esse o caso da mulher do namorado da sua amiga? Talvez sim, mas se não, alguém sempre fica com o gosto ruim na boca... Não é questão de moralismo, mas de atenção aos sentimentos que se remexem.bjos

Carolina disse...

A vida é elástica, somos capazes de superar!
Sempre penso que preciso ir fundo nas minhas história, por isto sempre penso ques e é pra nadar que seja dando bico na piscina, furando onda. Nadar no raso não tem graça!


bjos meus

Ana disse...

Questão polêmica e complexa. Realmente admiro a ousadia dela de se lançar na aventura sem cobranças e expectativas. Porém, como não sou nada leve, penso logo nas consequências e em todo o conflito emocional pós-viagem. Não correria esse risco. Estou curiosa para saber o fim da história...