quinta-feira, 17 de junho de 2010

O valor de si

Um dos maiores e mais complexos desafios da vida é ter consciência de seu próprio valor - e acreditar que esse valor é alto.

Muita gente reclama que nada nunca dá certo, que é sempre a última da fila, que ninguém lhe escuta ou dá atenção. Por quê será?

Suspeito que se não acreditamos que merecemos que as coisas dêem certo para nós, que temos capacidade para galgar o primeiro lugar na fila, que somos merecedores de escuta e atenção nada acontece.

Para alguns é mais fácil acreditar no próprio valor. Principalmente os que foram amados na infância, e assim tiveram o caminho bem calçado. Mas os que não foram amados o suficiente vão tropeçar nos buracos... E terão que ir, eles mesmos, preenchendo as faltas, corrigindo as falhas, ao longo da estrada.


8 comentários:

Mônica disse...

Para aluns é mais fácil acreditar no proprio valor.
Eu tive uma infancia sem problemas. Mas sempre tive uma baixa estima.
Mesmo meus pais pelejando em fazer sempre que eu sentisse melhor.
Nem os psicologos souberam dizer.
Mas agora que sou velha não importo.
Com carinho Monica

Fernandes disse...

Querida Mônica.
(Com todo respeito).
Não conheço vossa história, mas seja qual for tenho convicção da importância
Em algum momento e lugar sua presença foi fundamental p/ o crescimento de outrem.

Não tinha como ignorar o comentário tão rico em sentimentos.
Abraços.

Fernandes disse...

Vortando
Acho que temos necessidade da recompensa imediata e quando leva tempo ou chega de forma que não percebemos e entendemos, danou se...

Pois,existem momentos que o 1º lugar da fila não é o melhor lugar

Concordo plenamente que temos a obrigação de acreditar e presença familiar é importantíssima, mas também não se pode esquecer que é preciso muito trabalho, perseverar, consciência que nem tudo depende da gente.
Sempre acreditei e acredito embora às vezes fico meio tchun rs
Temos o dever de ir buscar nossa felicidade ...
Enfim,
Gostei muito do índio...

Gerana Damulakis disse...

Bacana mesmo é quem "se acha". O mundo pode nem olhar para tal pessoa, mas ela segue "se achando".
O que os outros pensam, não tem importância alguma: eis a felicidade.

Arnaldo disse...

É muito bom descobrir o valor da gente ao longo do caminho. Mais que isso, construir este valor, aprendendo e ensinando com o passar do tempo. E, tão importante quento reconhecer nosso valor, é reconhecer nossas fraquezas e limitações. E porque não dizer, enxergar nossos pecados.

Célia Regina disse...

Valéria... Indenfico-me muito com o seu jeito de escrever. Expressa muito bem o que acredito. Sobre esse post... Devo aos meus pais e irmãs o que sou hoje. Sei que piso com mais firmeza pelo amor recebido por todos eles (pais/irmãs). Tive uma bela infância. Não por não termo dificuldades, mas porque o amor nos ensinou a superar. Juntos: isso foi muito importante!

Neide disse...

Val,
Desde muito cedo tive que ir tapando buracos, vencendo obstáculos pra chegar onde eu queria. Mesmo com uma infância muito difícil,precária, eu nunca deixei de acreditar em mim mesma, pois tinha as palavaras de minha bisavó paterna, que sempre procurou encutir em mim auto estima e amor próprio, suas palavras ecoavam em mim como mantras,mesmo depois de sua morte. Confesso a você que cheguei muito mais longe de onde eu pretendia.
Hoje meu suporte é uma frase(não me recordo o autor)"Não faça a sua felicidade depender do que não depende de você"...é isto!!!

Bjussssssssssssssssss

Monica Loureiro disse...

Olha, como eu demorei a acreditar que tinha algum valor, viu ?