segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

O Brasil dentro do Brasil

Meu pai costumava dizer:

- A culinária do Norte do país é a verdadeira culinária brasileira. Porque as comidas baiana e mineira, nós herdamos dos escravos. O churrasco, nós herdamos dos espanhóis. Mas a comida do Pará e Amazonas, nós herdamos dos nossos antepassados mais genuínos, os índios.

Ele mesmo era meio índio, descendente das tribos do chaco paraguaio, nascido no interior do Rio Grande do Sul.

Na semana que passou, tive a oportunidade de conhecer um país dentro do nosso Brasil: Belém do Pará e Ilha de Marajó. Tudo é diferente e desconhecido: frutas, sabores, cheiros, cores, lendas, bichos... Fiquei encantada. Todos ficamos, pois viajei com meus filhos e a madrinha de um deles, cuja família é de lá. Ela foi nossa embaixadora nessa viagem tão intensa que parece que durou muito mais do que apenas uma semana.




Aos poucos, vou contar as impressões mais marcantes. A intenção é que sirva como um guia e um incentivo para os que têm vontade de conhecer essa região do Brasil. Vale a pena!

***

Em Belém, visitamos o Museu Paraense Emilio Goeldi...




... que é também uma espécie de jardim zoológico. Está meio caidinho - o peixe-boi morreu e ainda não foi substituído, e o ofidário está desativado. Mas vimos um jacaré impressionante, com quase dez metros de comprimento, e jeitão de bicho pré-histórico. Ele é a estrela do lugar.






O Mangal das Garças é um parque lindíssimo e bem cuidado, à beira da Baía de Guajará.




Há viveiros enormes e arborizados onde habitam pássaros da região. Os visitantes podem entrar nos viveiros e ver de perto as aves. A mais bonita, para mim, é o Guará - pássaro vermelho semelhante a uma garça, que é a ave-símbolo do Pará.


Mas o melhor do Mangal é o viveiro das borboletas. São dezenas, milhares, e sobrevoam as nossas cabeças dando a impressão de que estamos em um conto de fadas. Eu me senti a própria Branca de Neve no Jardim do Éden.






O Mangal tem ainda um mirante de onde se avista toda Belém e uma passarela de madeira que avança sobre a baía, ao fim da qual há bancos para nos sentarmos e contemplarmos a vista incomum: mangues, revoadas de garças e guarás, ilhas cobertas de mata fechada.




Na quarta-feira eu continuo!

16 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Foi muito gostoso, a narrativa suscita uma vontade danada de ir lá também. Só o jacaré é horroroso, lindo o pássaro vermelho, Guará, símbolo do Pará. O nosso Brasil é uma de riqueza ímpar.
Aguardarei a continuação.

Érico Cordeiro disse...

Quer dizer que você esteve pertinho de São Luís?
E quando virá conhecer a cidade dos azulejos?
De qualquer forma, Belém é uma cidade muito bacana, cheia de coisas legais prá ver, com uma culinária original e uma vida noturna muito animada.
Belo post e belass fotos!
Feliz 2010!!!!

Pablo Lima disse...

ah, começar o ano com um guia turístico dessa envergadura é privilégio de pouquíssimos!(:

abraços todos!

Arnaldo disse...

Gosto muito de Belém, uma cidade muito interessante. No Mangal das Garças, espero que tenha tido a oportunidade de almoçar no restaurante que existe lá, realmente umito bom.

Valéria Martins disse...

Dez metros?... Antes que alguém comente, devo corrigir o tamanho do jacaré: uns 5 metros, talvez seis? Só sei que ele era muito grande e me impressionou!

Arnaldo, não almoçamos lá porque comemos em um outro ótimo restaurante perto do Emílio Goeldi, dentro do Parque Residência. Inclusive, tem uma sorveteria Cairu lá dentro também, instalada em um antigo vagão de trem!

Mas a parte gastronômica será um capítulo à parte. Beijos!

figbatera disse...

Que legal! Conte-nos tudinho...

Heloísa disse...

Valéria,
Que viagem linda.
Estive em Belém há muitos anos. Naquela época o Museu Emílio Goeldi estava mais "inteiro". Por outro lado, acho que o Mangal das Garças ainda não existia. Pelo menos, não ficamos sabendo sobre a sua existência.
Também gostei muito de Belém, de suas comidas e frutas.
Beijos.

Babi Mello disse...

Tenho vontade de conhecer o Pará, certa vez recebi por e-mail imagem de um lugar lindo chamado ALTER DO CHÃO-SANTARÉM e fiquei com muita contade de conhecer, certeza que será um dia destino para as próximas férias.
bj!

maria guimarães sampaio disse...

Estou como Heloisa, O Goeldi era bacaninha e o Mangal não existia. Sua reportagem fotográfica me ligou na tomada para voltar ao Pará - onde fui em 1976 e subi o Amazonas no navio da carreira "Lobo D'Almada" até Manaus.

Anônimo disse...

Boa noite!

Estive em Belém no Congresso em 2007 porém não conheço...Recordo que haviam muitas árvores nas ruas Do caranguejo depois de não conseguir comer um prato que não lembro nome mas, era preparado com rabo e orelha de porco algo assim... Do suco e doce de cupuaçu que nunca consegui comer ou tomar tanto suco, sorvete ou doce com o mesmo sabor como lá...
Bem
Isso é papo p/capítulo gastronômico.

Como diz Lygia Fagundes Telles "A palavra é a ponte que eu estendo até o leitor. E digo: 'vem até onde eu estou'".


Eu fui...

Adorável o texto e o senso de humor na medida.Muito muito bom !

Bjs.

Uma Pulga em desesperO disse...

Que lindo tudo isso. uando tiver oportuniddae passo por lá. Bjuuu. Feliz ano novo!

Neide disse...

oi Val,

Voltei de minhas curtas férias (15 dias) eu e meu marido fomos pra serra Catarinense, foi muito bom.

Adorei este lugar onde vc foi, realmente o Brasil tem lugares maravilhosos q muitos nem imaginam. Qdo puder alçar voos mais altos, quero conhecer o Norte e Nordeste.

Obrigado por compartilhar conosco estas aventuras, aguardo ansiosa a continuação..

Bjus

. fina flor . disse...

querida, que delícia essas fotos!

quero muito conhecer esse pedaço de chão.

a comida não sei se provo, pois não como nadica de nada de carne, peixes, aves, rs*

beijos e um 2010 de muita luz, sorte e alegrias para você

MM.

>>> você escreveu uma carta para o papai noel? eu falei diretamente com ele no shopping leblon, kkkkkk

Mônica disse...

Valeria
Voce não calcula como eu gostaria de voltar a Belem do Pará.
Fui lá com um sacerdote nosso amigo. Ele me mostrou toda Belem, com sua riqueza e pobreza.
E fui nas palafitas e conheci outras cidades e amei cada pedacinho desta terra de indios.
Agora quero voltar para ver seu tumulo em São caetanos de Odivelas. Se voltar me leva?
Minhas irmas me prometeram que me levariam, mas este ano iremos para portugal.
Com carinho Monica

CHEIRO DE FLOR disse...

Valéria, te desejo um ano maravilhoso, cheio de saúde, paz e realizações!!!
gosto muito de ti e de suas visitas ao meu blog!!!
2010 com tudo de bom!!!!

Gabriela Gonçalves disse...

Essa última foto é lindíssima.
bjus