quinta-feira, 27 de agosto de 2009

O guerreiro Gengis Khan

Ele é considerado o maior estrategista de todos os tempos. Unificou as tribos da Mongólia, que viviam brigando entre si, e formou um exército invencível. Ao longo de décadas e através de gerações conquistou toda a Ásia. Quando chegaram às portas da Europa, o continente tremeu. Mas ele morreu e seu neto, que estava no comando, resolveu voltar e a campanha se desarticulou.

Esse é um resumo pífio, feito por uma leiga em História, de Temudjin ou Gengis Khan. Não me perguntem por que, mas sou apaixonada por esse personagem histórico, assim como por seu berço, a Mongólia. Um dia, ainda vou lá.

Vidas passadas? Talvez.

No sábado fui ao cinema assistir O guerreiro Gengis Khan. Cinemão asiático. Conta a história da criança e do jovem antes de se tornar o estrategista. Ele cresce sozinho, órfão, entre as planícies. Passa anos preso, submetido a humilhações e, como diz o monge que o visita vez em quando, só aguenta porque é "forte de espírito".

No fim do filme, na hora H de uma batalha onde está em desvantagem, ele reza ao deus Tengrin - sim, ele também é um homem de fé - e rola uma tempestade terrível, com raios e trovoadas. E os mongóis têm pavor de trovão.

Findo o conflito, Gengis Khan, o vencedor, é interpelado por um companheiro:

- Todos os mongóis temem os trovões. Por que você não os teme?

- Porque em uma época da vida, quando vinham os trovões, eu não tinha onde me esconder. Daí, perdi o medo.

Salve Gengis Khan!

7 comentários:

Fernandes disse...

(risos).
Impecável.

Boa tarde.

Mônica disse...

Eu vou dar uma olhadinha neste filme depois desta gripe. Por enquanto não estamos indo ao cinema.
com carinho Monica

Paloma Flores disse...

Acho que a gente também precisa aprender a não temer os trovões da nossa vida, né?

Uma Pulga em desesperO disse...

É agente tem essa mania de se esconder dos trovões... Bju!

Lauren - Moda Trash disse...

Adoro conhecer exemplos de pessoas assim! Que bom apresentá-los a nós, Valéria. O mundo está precisando de mais Gengis Khan, indiscutivelmente.
bjkassssssss

Valéria Martins disse...

E pensar que tudo começou porque roubaram a mulher dele, e ele foi atrás... Os amigos tentaram dissuadi-lo: "Temudjin, os mongóis não fazem guerra por causa de mulher. Nõs lhe arranjaremos outra mulher, várias!" Mas ele queria a dele. E a recuperou!!!

Beijos em todos

Lisa Nunes disse...

Valéria
no sabado a noite, quando cheguei em casa, encontrei uma aranha preta enorme, me esperando atrás da porta (moro numa casa e no pátio tem muuuuitas plantas). Só que eu estava sozinha, não tinha a quem chamar, eu mesma tive que enfrentá-la com a vassoura, até tonteá-la. Quando vi que ela estava quase se entregando, acertei na cabeça de uma só vez.
Esse foi o meu trunfo do fim de semana. Beijinhos