terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

O fim do livro de papel

Deu no PublishNews (fonte: Valor Econômico):

"Foi apresentada pela Amazon nesta segunda-feira, nos Estados Unidos, a nova versão de seu popular ebook, o Kindle 2. O novo leitor de livros eletrônicos é 25% mais fino que um iPhone e, de acordo com o fundador da Amazon.com, Jeff Bezos, entregará ao usuário qualquer livro que já foi impresso no mundo, em qualquer idioma, em menos de 60 segundos. O novo modelo tem sete vezes mais área de armazenagem do que o modelo anterior, uma bateria com duração de até duas semanas e um recurso que permite ao aparelho ler texto em voz alta. Com menos de um centímetro (0,91cm) e pesando apenas 280 gramas, o aparelho tem a espessura comparada a de um lápis. Sua bateria dura de quatro a cinco dias sem necessidade de recarga, e até duas semanas se a rede sem-fio estiver desligada. Embora só seja lançado oficialmente no próximo dia 24 de fevereiro, o Kindle 2 já está em pré-venda pelo site da Amazon. Ele será vendido por US$ 359, o mesmo preço do Kindle original. A versão apresentada nesta segunda-feira veio com direito a livro inédito de Stephen King. Ur sairá exclusivamente no Kindle e tem o aparelho como um dos personagens principais."

Ou seja, o fim dos livros impressos está proximo e será rápido, como foi a extinção dos discos de vinil e o surgimento do CD. Não adianta chorar; dizer que ama o livro de papel. Creio que até continuará existindo, mas tiragens limitadas, para colecionadores ou pessoas que fizerem questão de manter suas bibliotecas.

A humanidade caminha para o virtual. Breve, dinheiro de papel não existirá mais. A burocracia irá para o espaço, literalmente. Árvores serão poupadas. O mundo está cheio demais, bom que haja lugar de sobra no espaço, ou ciberespaço.

Quem sabe, um dia, a própria humanidade não migra para lá.



15 comentários:

Rafael Velasquez disse...

eu prefiro os livros clássicos. acho esse coisa de virtual muito chato. não tenho paciência para ler em tela. e o meu direito de marcar página? não. pode ser que as coisas voltem. não acredito numa evolução pura. tem coisa que é só para vender. muito capitalista. não vou comprar. quero um treco desse para longe de mim.

e bato o pé.
abraço

Ana Carolina disse...

Eu amo papel! Eu amo papel! Papel "is my business"!! No! Noooooooooooooooo!!

e bato o pé (2).

Beijos, querida!

Babi Mello disse...

Ai Valéria não sei não, nem pela responsabilidade socioambiental quero que acabem com os livros de papel, sou apaixonada por eles.
Imagina isso, no way!
Bj

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

Será????Não creio que ele um dia acabe...nada como folhear as páginas de um bom livro...
Beijocas,

Monica Loureiro disse...

Menina, por isso é que os livros estão baixando tanto de preço, né ?

E eu , bobona, comprei um monte de livros ( uns 30 ) por R$ 9,90 cada um, achando o máximo.....

rsrs

Pâmela disse...

Eu sou uma das que odiaria ter que ler nesse leitorzinho digital aí. A graça dos livros está no papel...
Mas QUALQUER livro em menos de dois minutos??? Isso sim me atrai!
Beijos!

AC disse...

Uma vez me perguntaram - e isso já tem uns dez anos - se o digital iria acabar com o livro. Eu respondi que, ao contrário, só o valoriza. Porque a gente só passaria a imprimir os livros que a gente de fato quer ter como coisa viva, ao lado, a mão.

O formato livro é eterno, uma das mais geniais invenções humanas, junto com a bicicleta, o clips, o espelho, o canivete suiço - e por aí vai.
O que vai acabar breve é o modelo de negócio editorial como o conhecemos hoje. E é isso que apavora muita gente. Nesse novo mercado, a figura do agente literário vai se ampliar enormemente.

Vanderhugo disse...

Oi Valéria...
espero que nunca acabem os livros de papel... tenho paixão por eles!

Adorei seu último recado... vc deixa o meu ego nas alturas!!! O novo post já está lá, atendendo a pedidos, rsrsrsrsrsrsrs...

a, em relação à Mônica, pode deixar que eu não conto. Segredo nosso... rsrsrsrs,

bjs

Pablo Lima disse...

ciberhumanos, os seremos em breve!

Halime disse...

É, tava lendo sobre isso... Não consigo ler nada no computador e também nao sei se conseguiria ler numa telinha daquelas... Tem todo um charme de deitar na cama ou sentar, com o livro na mão, virar as páginas... Não queria que isso mudasse... Bjs

Drunken Alina disse...

Eu AMO livros de papel,mas pensando na natureza, essa é uma ótima idéia!

Beijãooo!

Calabresa disse...

Esse trequinho não tem poesia!
Apenas isso...
Pode ser prático, economizar papel etc etc etc
mas carece de poesia tadinho!
Bjsss

Heloísa disse...

Valéria,
Como todos que me antecederam, eu também adoro livro de papel.
Espero que o AC tenha razão, e que a mudança só ocorra no mundo editorial.
Beijos

Carolina disse...

Ai será?
Amo tecnologia, uma vez que trabalho direto com ela, mas ainda não gosto de ler livros no computar. Baixo bastante, mas acabo imprimindo pra rabiscar neles e voltar a mexer na hora que quiser.
Não tem como substituir.AMO livros de papel!!!
bjos meus

Anônimo disse...

Prefiro os livros de papel.
E eles (livros de papel) não são os
unicos responsaveis pela queda das arvores. O que dizer de estradas que
passam por onde poderia haver vegeta-
ção?
wbs.