sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Polir o diamante

Pobre Suzana Vieira... Nessa altura da vida meter-se em tamanha confusão, ver seu nome no noticiário policial, associado a uma sucessão de fatos lamentáveis e a um terrível baixo astral. O que faz uma mulher bem sucedida, vitoriosa como ela, ligar-se a um homem como o ex-cabo Marcelo, que Deus o tenha?

Lembro quando fui fazer reportagem sobre o grupo MADA (Mulheres que Amam Demais), no subsolo da Igreja Santa Mônica, no Leblon, para a revista Marie Claire. Surpreendi-me com as mulheres bonitas e interessantes que encontrei lá. A psicóloga que conduzia a sessão me contou previamente, sem dizer nomes, que cada uma ali tinha uma história trágica: companheiras de ladrões, drogadictos, homens violentos. Por que?

Nós, mulheres, por mais inteligentes que sejamos, costumamos cair nessas armadilhas que nós mesmas criamos, é triste dizer. Começamos um relacionamento fazendo ressalvas, sabendo que há vários impecilhos, mas alguma coisa nos turva a visão e seguimos em frente fazendo concessão atrás de concessão. Daqui a pouco, estamos envolvidas numa teia e, tarde demais, amor e sofrimento se misturam, mas continuamos lá, pois já não é fácil desvencilhar-se.

Uso o pronome "nós" porque também já passei por isso, e muito me impressionou a recomendação da terapeuta que me acompanhava na época: "Procure dentro de você o que a faz se aproximar de pessoa com essas características."

Pela primeira vez, deixei de apontar meu dedo para fora e voltei-o para mim mesma, com um misto de susto, medo e raiva. O que encontrei? Bem, não é o caso de dizer aqui. Mas era o início do polimento de um diamante que carrego dentro de mim, que todos carregamos, e que requer limpeza e lapidação frequentes, diariamente, para luzir com toda a luz e valor que tem. Trabalho árduo, mas é para isso que aqui estamos.




14 comentários:

Pâmela disse...

Sim, concordo que os problemas das nossas vidas somos nós mesmos que criamos.
Acredito muito nisso, em vários aspectos, não só no que diz respeito ao coração.
Somos responsáveis pelo que nos acontece, apenas com pequenas ressalvas. Não é como nas novelas, que a causa dos problemas vem de vilões invejosos. Não, a causa de nossos problemas vem de nós mesmos. Na maioria quase absoluta das vezes.
Beijos!
Lapidemos os diamantes!

Rafael Velasquez disse...

1- vou confessar uma coisa: eu tenho medo, ou melhor, pavor de um dia uma mulher se apaixonar muito por mim!

Rafael Velasquez disse...

2- acho que seja como for a mulher deve dar se todo valor.

eu estou por fora do que aconteceu com ela.

Rafael Velasquez disse...

3- foi esquecimento, não mandei um simpático: "beijo".


agora sim.

Denise do Egito disse...

Valéria,

Não estou inspirada para comentar sobre o diamante bruto, então vou fazer uma brincadeirinha: acho que o marido da Susana Vieira era bom que pegada, por isso ela casou com ele... hehehe.
Beijos e bom finde

Cy disse...

oi valéria,
adorei o encontro também! foi muito especial!

bjsss
cy

Paula disse...

Engraçado, ia postar um texto sobre isso hoje.
Acho que atraimos nossos afins, portanto o que faz uma mulher com tantas qualidades atrair homens como o cabo Marcelo, que Deus o tenha, é o fato de nos sentirmos, internamente, como ele. É o resultado de anos ou meses de abandono interno e da perda de percepção de quem realmente se quer ser. O segredo está realmente na próxima reunião, consigo mesma, para cuidar de si e "lapidar o seu diamanteao invés do dos outros"
beijos

Heloísa disse...

Valéria,
Também pensei muito nisso: Como as mulheres, e mulheres inteligentes, se envolvem com homens desse tipo?
Achei interessante o que a Bárbara Gancia escreveu sobre essa situação. Saiu na Folha de São Paulo de ontem, dia 12. Você leu?
Agora, a história do diamante é muito verdadeira.
Beijo

Claudia Pimenta disse...

oi valéria! foi uma delícia conhecer você! e agora, saber que partilhamos tantas coisas - gosto pela dança, viagens e o signo de aquário! espero que esta parceria esteja apenas começando e que se torne forte com o tempo. um gde bj! ah, vou ler o seu blog todo, com mais calma, e o que vc me indicou sobre paris. mais bjs!

Babi Mello disse...

Olá, obrigado pelo comentário no blog e sobre o futebol acho que pode ser um diferencial com os homens mas de verdade, sabe-se lá se é mesmo. E sobre o seu post polir o diamante é muito dificil, só conseguimos se o outro nos permite e se nos mesmos estamos dispostos a tal coisa. Agora apaixonar-se, amar, mesmo que a pessoa mais errada do mundo infelizmente faz parte da nossa caminhada.
Abraços!

Pablo Lima disse...

por isso q tu és o diamante assustadoramente belo que vemos hj...

Monica Loureiro disse...

Menina,temos que olhar isso tudo com muita compaixão, porque pode acontecer com qualquer pessoa....
Tanto da parte dela, quanto dele...

Carolina disse...

É o velho ditado: no desespero se faz péssimos negócios.
Fazer o quê? Acontece....
bjos

Carolina disse...

Só pra completar, mas esta história tem de tudo, menos amor, com certeza!
bjos meus