quinta-feira, 24 de julho de 2008

Vibrafone na Rua Taylor

Duas ou três pessoas já haviam comentado, então, fui conhecer o Cantinho da Fofoca (nome horroroso!) na quarta-feira à noite. Fica na segunda quadra da Rua Taylor, pitoresca ladeira que começa na Rua da Lapa. Sujinha, cercada de edifícios daqueles que têm mais de dez apartamentos por andar, centenas de janelinhas piscando e vibrando, cheias de vidas e dramas.

Subi a ladeira sem pressa, pois sabia que minha amiga J., iniciada no lugar, ainda ia demorar. O bar não tem letreiro, identifiquei por causa das mesas – diferentes umas das outras, cadeiras idem – espalhadas na calçada e na rua. Era uma noite quente e fiquei sentada, tranquila, esperando J., observando os transeuntes: uma senhora carregada de sacolas de supermercado, quase fui ajudar; um gringo de mãos dadas com uma linda mulata; uma jovem com roupas de ginástica, suada, voltando pra casa; outra descendo a rua com os cabelos molhados, perfumada, provavelmente indo ao encontro do namorado. A Rua Taylor é uma rua muito familiar!

J. chegou e, enquanto conversávamos, três músicos montavam seus equipamentos no interior do bar. Em meia hora a música começou e qual não foi nossa surpresa ao constatar que um dos instrumentos era um vibrafone. Vocês sabem o que é isso? Do tamanho de um piano, pedais, milhares de teclas douradas, tocadas com quatro baquetas, duas em cada mão. Minha amiga, que é cantora, nunca tinha visto um na vida! O ápice da apresentação foi a música Vera Cruz (que eu não conhecia), do Milton Nascimento, tocada a mil por hora no vibrafone, acompanhado de baixo e bateria (maravilhosas as caretas de prazer do baterista ao batucar seu instrumento, um filme à parte). Muito bacana!!!

Senti que o forte do Cantinho da Fofoca é a música, sem dúvida. E a cerveja Bohemia gelada. E a cachaça curtida com morango. E a simpatia do dono, Nonô, que é também o único garçon da casa. Não tem muito o que comer – na ocasião só havia uma pizza de provolone "mais ou menos". E não aceitam cheque ou débito automático. Pagamento só em dinheiro vivo, ui! (Saí lisa, lesa e louca, e tive que pedir emprestado a J. para voltar pra casa).

E a decoração? Só pra dar uma idéia, Nonô tem uma coleção de Topo Gigios (valem dinheiro!) e uma foto do Capitão Asa (isso vai denunciar minha idade...) Enfim, vale conhecer o Cantinho da Fofoca, lugar ainda genuíno na Lapa. Programação: de terça a quinta - jazz; sexta e sábado - afrosambas! Enquanto a fiscalização não bater e obrigar o Nonô ou a profissionalizar o lugar ou a fechar...





6 comentários:

Denise do Egito disse...

Hum, aos pouquinhos começa a mexer no visual. Cadê os livros?
Olha, se não quiser denunciar a idade, mude no seu perfil completo...
Teria ido com você ao Cantinho da fofoca, ver a J. cantar, viu?
Beijokas e obrigada pelos anéis

Marcia Regis disse...

Ah... vai ter que me levar lá para conhecer, como parte do programa saúde S&SS ;-) bjs M.

Anita Miguel disse...

Valéria!
voltei. ah, esse post eu vou ter que linkar lá no garotas de segunda. pode?
beijos, rÔ

Diego de Lareina disse...

Infelizmente o dono do "Cantinho da Fofoca já anunciou que fecha antes de 10/10/2008.
Não deu os motivos, mas devem ser os de sempre: prejuízo, falta de estrutura, má adminsitração; essas coisas.
Difícil se viver dessa coisa amadoristicamente, o que é uma pena, pois as idéis do Nonô são excelentes. Mas empreendimento exige eficiência. Desde um pequeno bar até um grande banco.
Passe lá rápido e tome mais uma; pode ser a derradeira. Confira o que diz Juarez Becoza em seu blog http://oglobo.globo.com/blogs/juarez/
Um abraço
(ah, cheguei ao seu blog pelo Google, procurando a rua Taylor)

Manuela Nogueia disse...

Apreciei muito o texto a respeito do "cantinho da Fofoca" que realmente deu um ar mais boêmio a rua Taylor.
porém, vale ressaltar que sua descrição a respeito da rua e dos seus moradores pode ser considerada agressiva.
os predinhos de mais de 10 apartamentos por andar que, segundo a senhora, guardam vidas e dramas são a moradia de centenas de pessoas que nao os largaria por nada e se orgulham muito deles.
Um deles, ao contrario do que a senhora pensa, possui amplos apartamentos e muito confortáveis.
Portanto, estou oficializando minha adimieração pelo seu post a respeito do cantinho da fofoca e, ao mesmo tempo, expondo minha indignação com seu descaso com os habiatantes desta rua.

Anônimo disse...

Kkkkk a nativa se doeu!!!!