quarta-feira, 30 de julho de 2008

A firmeza

Difícil encontrar o equilíbrio entre ser firme e flexível; entre deixar "acontecer naturalmente", como a letra do pagode, ou fincar o pé e dizer: Não!
Tem horas em que é preciso dizer Não sem medo de ferir os sentimentos do outro ou de ser inconveniente. Muitas vezes, os outros são inconvenientes com a gente. Ou passam por cima da gente. Ou simplesmente se expandem diante da nossa falta de limites. E com isso entramos pelo cano.
Parto do princípio que tudo pode ser dito, desde que seja dito com jeito. Ser firme não quer dizer ser indelicada. O problema acontece quando somos pegos de surpresa e não dá tempo de pensar. Civilizados que somos, treinados para conter nossos impulsos, acabamos sufocando o Não que vem à boca. Com isso, o outro ganha tempo; usa e abusa de argumentos para conseguir o que deseja. Se não formos muito firmes, acabamos cedendo.
Este fim de semana eu disse sim, quando queria dizer Não. Tentei desfazer a coisa, mas meu destino já fora selado. Não foi um fim de semana confortável, mas como nada acontece por acaso, ainda estou quebrando a cabeça para descobrir o aprendizado embutido na experiência.
Hoje, no trabalho, numa outra situação, meu superior cobrou: "Valéria, você tem que ser firme!"
Ui! De novo!
Vou para casa refletindo sobre essa qualidade – a firmeza –, que também é um dos 99 Nomes (atributos) de Deus, segundo o Islã. Ele é O Firme (Al-Matin).
Já o budismo se refere à firmeza ilustrando-a com o bambu, que se curva sob o vento, mas não se quebra.
Permanece firme em seu lugar.

4 comentários:

Claudia Goulart disse...

Muito apropriado seu post.
Nos dias de hoje com tanta desconsideração com o próximo, precisamos cada vez mais, dizer não quando é preciso.

....

No meu post de hoje, comentei o seu nome e do seu blog, para falar sobre o Amor em Minúscula.
Se vc não aprovar, por favor me diga.
um abraço,

Marcia Regis disse...

Dizer "não" é tão difícil, né? Mas é prova de amor por si. bjs

Cardume Design disse...

Eu, q sou tão falante, acabo muitas vezes dizendo sim, quando muitas vezes quero dizer não. Tenho medo de magoar. Mas quando eu acabo não correspondendo às expectativas criadas em torno do meu sim, eu magoo da mesma forma. Então, de que valeu não dizer o não?
Beijos, querida

Monica Loureiro disse...

Menina, voce sabe que eu faço terapia ainda por causa disso ?
Já obtive um grande avanço porque me deixei invadir muitas vezes....
Agora estou me respeitando mais...
É muito libertador...