domingo, 27 de julho de 2008

Arrumando a casa

Quando a Indesejada das gentes chegar (...)

Encontrará lavrado o campo, a casa limpa,

A mesa posta,

Com cada coisa em seu lugar.


Sempre relembro este poema – Consoada, de Manuel Bandeira – e me fascina essa história de "arrumar a casa" antes da Indesejada das gente chegar. Porque ela pode chegar a qualquer momento, e não devemos deixar tudo para a última hora. Porque a "última hora", como a expressão já diz, é um tempo muito curto. Não dará pra arrumar grande coisa. Então, é preciso começar já, sem adiamento, sem desculpas. Do contrário, vamos acumular trabalho para ser feito depois... Quando? Onde? Não me perguntem, não sei. Mas que deve existir um depois, deve.


Certa vez, li que "a maioria dos seres humanos vive como se fosse imortal". É verdade, refleti, pois ninguém vive a vida contando que a morte pode vir na hora seguinte. Essa afirmação fazia parte de um texto que não era pessimista, nem nos incentivava a pensar na Derradeira, mas sim a nos fazer trabalhar desde já para "lavrar o campo, limpar a casa, pôr a mesa com cada coisa em seu lugar". Penso nisso todos os dias e trabalho para isso – com paradas ocasionais para respirar, porque ninguém é de ferro! Mas a parada não pode ser longa, não, senão... A gente acostuma e estaciona de vez.


Já que estamos relembrando poemas e frases, tem uma da Lya Luft que não é nada poética, mas eu gosto muito: "A vida é uma escada rolante onde a gente sobe pelo lado que desce. Se paramos um pouco para descansar nos degraus, ela nos leva para baixo." Ufa!


Recentemente, a vida me trouxe a oportunidade de finalizar certas questões que ainda se encontravam pendentes dentro de mim – por um fio, mas sim. Nada como o tempo! Foi tão bom sentir que eu havia trabalhado o suficiente para me permitir cortar esses "fios" sem qualquer pesar! Tudo ficou para trás, acabou. E aí eu lembro o título de um livro da Ed. Nova Era, do grupo Record, cujo exemplar eu tenho em cima da minha mesa de trabalho: Siga em frente, da psicoterapeuta Celia Resende. That´s it!


Ainda existem fios ligados a outras pendências, mas tenho a vida inteira pela frente para cortá-los... Ops! A vida inteira? Quanto é isso? Não sei, então, vamos continuar a arrumação da casa. Agora, já, vamo que vamo!!!



4 comentários:

Ana Carolina disse...

Oi querida! Eu tava sumida de vários blogs e tirei o atraso lendo tudo hoje. Essa semana foi terrível pra mim. Mas depois conto com calma por email. A cara de desânimo no blog é o reflexo...
Beijoca, querida.

Marcia Regis disse...

Parece até que escreveu pra mim... sei que não foi, mas caiu feito luva. bjs e boa semana

Claudia Goulart disse...

Valéria, só agora consegui ler o Amor em minúscula. Estou adorando!!!!!
Obrigada pela dica.

Monica Loureiro disse...

Voce achou que este livro é libertador ? Vale a pena ?

Ah, posso linkar voce no meu Blog TERAPIA LITERÁRIA ?