quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Verão no Rio de Janeiro

Após quatro meses de chuva e frio quase ininterruptos, o sol brilha sobre o Rio de Janeiro. O verão chegou. Em todo lugar só se fala do calor, muito embora as reclamações contenham uma ponta de orgulho e felicidade por finalmente reconhecermos nossa cidade como ela realmente é. Antes, estava parecendo Londres!

O Rio de Janeiro tem muuuitos problemas. Eles estão estampados nas capas dos jornais do mundo inteiro, para todo mundo ver. Uma vergonha. Tanto, que o cantor Lobão mudou de cidade. Foi morar em São Paulo. Há duas semanas, ele escreveu um artigo no Estado de S. Paulo explicando o motivo da mudança. Falou que não aguentava mais os cariocas e o seu escapismo. Se temos futebol, praia e Carnaval, as balas perdidas podem voar por aí que nem ligamos. Não é bem assim.

A questão é que na praia, no Carnaval e no futebol, todos se encontram: ricos e pobres, honestos e marginais, homos e heteros, velhos e jovens, e por aí vai... Essas zonas de interseção mantem um equilíbrio tênue, que nos últimos tempos vem sendo quebrado com muita frequência. E nós sofremos, sim.

Tudo isso para dizer que esta semana eu curti - sem culpa - o primeiro dia de verão no Rio de Janeiro. Acordei cedinho, peguei a bicicleta e pedalei até o Arpoador. O mar estava calmo, verde e cheio de peixinhos. Idosos, crianças e gringos se banhavam com sorrisos de orelha a orelha. Nenhuma nuvem no céu azul turquesa. Concordo com um amigo que costuma dizer:

- Isso aqui ainda tem que piorar muito para ficar ruim.

Amigos e leitores quem não moram no Rio de Janeiro, eu os convido a visitar a cidade neste verão. Vamos sair e beber um chope. Pegar uma praia no fim de tarde e assistir ao por do sol no Arpoador. Ir à Lapa e sair num bloco de rua. Assistir a um clássico no Maracanã (essa eu passo!)

O máximo que pode acontecer é ter que fugir de um arrastão (eu tenho uma técnica: em vez de correr para o calçadão, a dica é ir para o mar, onde ninguém vai); correr de uma bala perdida; ficar queimado feito um pimentão. Mas desconfio que assim mesmo vocês vão gostar.



11 comentários:

Heloísa disse...

Valéria,
O Rio é lindo mesmo, e o jeito é tentar despreocupar.
Hoje também tivemos, em Santos, um maravilhoso dia de verão. Fui caminhar na beirada do mar, molhando os pés, e estava uma delícia.
Beijo.

Drunken Alina disse...

Já te falei que AMO o Rio né?
Sou encantadíssima e pretendo voltar pra passear bastante por aí!

É sem dúvida a cidad emais bonita que já visitei, ganhou até do sul, que eu sempre idolatrei!

Eu moro na praia também, amo minha cidade mas...sempre lembro de copacabana com tannnta saudade =)

Beijosss!!

Bruno Ribeiro disse...

Cara Valéria,
você teria, por acaso, como me enviar um link para esse artigo do Lobão? Procurei no Google, mas não achei nenhuma referência.
Considero esta postura dele totalmente hipócrita e burra, já que São Paulo é uma cidade tão violenta quanto o Rio. O que o incomoda, na verdade, é o fato de o carioca ter uma cultura realmente arraigada em suas tradições, enquanto o paulista é "globalizado". Para o tipo de música que ele faz - um pop vagabundo, como todo pop - e para o tipo de ideia que ele manifesta a respeito do povo brasileiro, o Rio de Janeiro realmente não é um bom lugar para ele. Já foi tarde.
Aguardo o link.
Beijo

Adrianne Ogêda disse...

Vamos combinar, o Lobão é um "reclamador" compulsivo. E pera aí, São Paulo é bem punk também! Mas concordo com vc, temos questões bem complicadas mesmo. Sem querer escapar, só mesmo pegando uma prainha... (rs) Valéria, tem um caminho lindo que começa no Forte do Leme, passeio incrível, a gente vê Copa inteira. Vale a pena.

Fernandes disse...

São exatamente 11hs da manhã.Pois,estou Cá
somente p/desejar um bom dia.

Abraço;

Claudia disse...

Concordo com vc Valéria.
No feriado aproveitei pra ir a praia cedo, fui até Guaratiba ladeando o mar(Prainha, Grumari) e a paisagem é maravilhosa.
Toda grande cidade tem seus problemas e aqui não é diferente, só que com essa natureza, por vezes esquecemos que existem problemas.
Sem culpa!
bjs

Mônica disse...

Valéria
Voce escolheu este tema num dia muito especial, para mim, no dia do meu aniversario.
Eu nasci no Rio de Janeiro. Tenho orgulho disto. Apesar de ter um medo que pela, de andar sozinha pelas ruas sem a companhia de Marilia.
Mas não importa. Minha cidade natal é MARAVILHOSA. Não existe nenhuma Nova York que chegue a seus pés.
Alguém tem que impedir este apelido de cidade perigosa.
E voce é a primeira e estou adorando
Meu aniversario está colorido por causa de seu comentário.
E viva nossas praias.
Mas não posso deixar de dizer que sou mineirinha caipirinha e da roça, como disse um aluno da Ivani.
Com carinho Monica

Valéria Martins disse...

Oi, Bruno! Tentei acessar seu perfil, mas não está disponível. Não tenho o link para a matéria e acho difícil a gente conseguir, porque deve ser conteúdo fechado do Estado de S. Paulo. Sou assinante do UOL e às vezes quero mandar link da Folha para os amigos, mas se eles também não são assinantes, não conseguem ler.

Eu admiro o Lobão, ele é muito inteligente. E sempre achei ele mais parecido com São Paulo do que com o Rio. Ele deve estar bem situado lá.

Beijos! Obrigada!

Obrigada pelo bom dia, Fernandes!

Fernandes disse...

Boa noite!
Como é de praxe, praia cheia sinal infelizmente de corre corre e hoje não foi diferente. Sabendo pelos posts o quanto gosta. Deixa um ok, se estiver tudo certinho.

Perdão pela inconveniência ...

Valéria Martins disse...

Está tudo OK, Fernandes... Obrigada.

MONA disse...

OLA QUERIDA VC PODERIA ME DIZER DATAS DE VERAO NO RIO,POIS QUERO IR NA EPOCA DO VERAO POIS ADORO PRAIA EU E MINHA FAMILIA,MORO EM MARTINICA NO CARIBE E QUERO MOSTRAR PRO MEU CARIBENHO COMO RIO è LINDO UM GRANDE ABRç E MUITAS FELICIDADES...MONA