segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O Amor em paz

Me pediram para escrever sobre o amor... Quem sou eu e com que propriedade posso fazer isso?

Sou um simples ser humano que já se apaixonou algumas vezes, amou poucas vezes e conheceu muita gente por aí. O que aprendi ao longo da vida é que para encontrar um amor é preciso - antes de olhar para fora e para os outros - prestar atenção a nós mesmos. Estamos realmente abertos? Prontos a nos deixar levar pelas mudanças e transformações promovidas pelo amor?

Porque um relacionamento de verdade traz esse movimento quase sempre acelerado, que nos faz ter a ilusão de que estamos perdendo o controle. E isso dá medo. (Bobagem! Não controlamos nada!)

A pessoa que atraímos, por sua vez, é um termômetro do nosso estado atual. Quem reclama que só atrai gente complicada deve olhar para si mesmo: eu sou complicado? Como? O que preciso fazer para mudar?

"Os semelhantes se atraem" é uma frase muito verdadeira que remete a outra, da Bíblia: "Diga-me com quem andas e te direi quem és."

Por fim, entre muitas outras coisas que poderia dizer sobre o amor, prefiro citar a dedicatória do livro Somos todos iguais nesta noite (Ed. Rocco), do escritor carioca Marcelo Moutinho para a esposa Flávia: "Para F., o amor em paz."

Sim, quando estamos em paz ao lado de uma pessoa é sinal de que chegamos lá.




20 comentários:

Heloísa disse...

Valéria,
Que foto linda!
Sabe que eu ainda não havia pensado nessa associação de amor com paz? Realmente, acho que o amor verdadeiro supõe paz.
Beijo.

Babi Mello disse...

Valéria que lindo amor em paz, gostei dessa perspectiva.
Espero um dia poder encontrar.
A imagem é forte e linda.
bj!

Mônica disse...

Valeria
Como senti sua falta! Voce escreve com alma e eu queria ver Nova York além dos olhos, com a alma.
Não sei se vou escrever. Vou deixar para Marilia.
Foi tudo muito lindo e grandioso e especial. Além disso uma nova oportunidade de estarmos as tres juntas no mesmo quarto como antigamente.
Com carinho e ainda querendo ler suas maravilhas
Monica

Marisa Pimenta disse...

Valéria, adorei teu texto, mto lindo e verdadeiro, pois sem paz nada acontece. Apareça e será bem-vinda. Bjks

Mala disse...

Encantado, surpreendido, arrebatado, grato e pensativo procurando entender como consegue me parar .
Não se trata de exageros,cantada, algum caso de insanidade, falta de senso ou do que fazer. Ainda não sei bem explicar o que seja. Mas, tem gosto de Paz.Vide a gravata ...

Bom, obrigado.

Seguindo a regra do Sujeito Indeterminado do post,rs

Abraço;

Adrianne Ogêda disse...

Gostei da frase, "amor em paz". As vezes os sinais de inquietude de uma relação jovem, ansiedade, adrenalina, são atraentes e prazerosos. Mas o amor, aquele que aquece a alma, tem uma serenidade e um aconchego gostosos e tranquilos. bjos.
Boa a dica literária que me deu, vou pesquisar outros da Marina pois "A ideia toda azul" já li. bjos.

Monica Loureiro disse...

Arthur da Távola é que falava, sem paz, não há amor...Pode ser tudo: paixao, atração física, mas não amor...

Fico feliz em vir aqui sempre !

... disse...

As vezes me pergunto, quando vamos estar prontos? Acontecimentos importantes não damos sua devida importancia. Momentos de verão, achamos que é pra vida toda. Pessoa certa, quem vai saber???
Acredito que atraimos o que a gente quer.
mil bjuxx!!!

Drunken Alina disse...

É verdade,amor verdadeiro dá paz!

E como é delicioso saborear isto!

Um beijão!

Andrea disse...

Valeria ,lindo o que falou do amor .
Estou a espera dessa paz ..
Beijão

Andrea disse...

Valeria ,lindo o que falou do amor .
Estou a espera dessa paz ..
Beijão

Guzz disse...

... que grande verdade voce disse - "A pessoa que atraímos é um termômetro do nosso estado atual"

valeu !

em tempo, coloquei uma nota sobre o curso do Roberto Muggiatti lá no CJUB

abs,

Mônica disse...

Amar é também amizade.
E seus olhar transmite só coisas boas para nós, seus amigos.
Com carinho Monica

Monica Loureiro disse...

Valéria, quanto a informação que voce me pediu ( não achei o seu e-mail )
O nome do Jornal é A GAZETA e o responsável pelo caderno de cultura
é José Roberto Santos Neves

jrneves@redegazeta.com.br

Qualquer coisa me avise.

Dione disse...

Valéria, os irmãos "tudo de bom" são do seriado "Supernatural", aqui no Brasil passa com o nome "Sobrenatural"...

Grande beijo!!!

rosane queiroz disse...

valéria

acho que voce pode começar a dar palestras sobre o tema!

agora, amor em paz... acho que uma guerrinha as vezes tambem faz bem, porque fazer as pazes, fala serio, é tudo de bom!

bjos, ro

Carolina disse...

Estou vivendo a vida,mas lá no fundinho ainda anseio por este amor em paz. Já posso até sentir como será, mas sem conhecer a face deste parceiro sonhado. talvez esteja aí a beleza do mistério...

bjos meus

Adriana Calábria disse...

Feliz de quem tem a "sorte de um amor tranquilo"!
Depois de muitos amores inquietos, estou aprendendo a desfrutar do "amor em paz".

Ia seguir seu conselho e ir a FLIPORTO, mas não vai dar. Por um bom motivo. Em breve conto as novidades!

Bjssss

Adriana Calábria disse...

Valéria:

Os versos do post são meus.

Bjss

roberto disse...

A música é o caminho e abertura para diversas expressões culturais, requer estudo e muito mais, acima de tudo a música deve ser sentida, sentida mesmo, e não somente ouvida.Eu não nasci sabemdo isso, devo isso aos meus professores e ao mestre Jaime Arôxa, embora não sendo músico sente a música para fazer dela um prazer, o prazer de dançar. A Valéria fez isso, sentiu a música, dessa forma conquistou a eternidade desse momento. Parabéns Valéria.