segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Encontro com Lygia

"A palavra é a ponte que eu estendo até o leitor. E digo: 'vem até onde eu estou'".

Essa foi uma das falas da dama da literatura brasileira, Lygia Fagundes Telles, na Livraria da Vila, domingo, 14h30. Muito animada, aparetamente recuperada da morte do filho único, o cineasta Goffredo Telles Neto, ela compareceu à livraria acompanhada de uma das netas e de meia dúzia de amigos escritores.

Magrinha, 86 anos, caminhando com certa dificuldade, mas como sempre elegante - os cabelos grisalhos com duas mechas mais brancas na frente - ela conversou durante uma hora e meia com a platéia lotada. Contou vários causos, especialmente sobre a amizade com Clarice Lispector, inspirada pela presença, de surpresa, do biógrafo norte-americano da escritora ucraniana, Benjamin Moser, que está em SP para o lançamento do livro Clarice (CosacNaify), segunda-feira, às 18h, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional.

Algumas outras falas de Lygia:
"Eu e Clarice viajamos para um congresso de escritores em Cali, na Colômbia. O avião começou a sacolejar e eu comecei a rezar: 'Meu Deus, não quero morrer agora.' Clarice percebeu o meu nervoso, segurou o meu braço e disse, com seu sotaque carregado: 'Lygia, querrida, fique tranqüila. A minha cartomante já disse que eu não vou morrer de desastre."




"Aos 18 anos, eu estudava educação física e direito ao mesmo tempo. De manhã, dava braçadas na piscina, jogava vôlei, fazia ginástica olímpica... E esgrima! Havia o uniforme branco com aquela máscara e, no lugar do coração, tinha um coração de feltro vermelho colado. O professor dizia: 'olhem o coração! Cuidado com o coração exposto! Touché!' Até hoje, o meu coração está exposto".

"Clarice acreditava em Deus. Ela me dizia: ' Lygia, querrida, o que somos nós sem Deus? Nada.' Nós conversávamos muito. E fumávamos. Mas havia certas assuntos, certas dores que a Clarice carregava, e nós calávamos sobre esses assuntos. Todo ser humano tem cavernas dentro de si, onde jazem coisas nas profundezas. Nós respeitávamos as nossas cavernas."

"Eu e o João Ubaldo fomos a um encontro de escritores em Berlim. Eu não falo uma palavra de alemão. Mas comentei com ele que precisava comprar um creme para a pele, que haviam me recomendado, de lá. O Ubaldo disse: 'eu falo muito bem o alemão!'
Fomos juntos a uma farmácia e ele falou um monte de coisas com a atendente, e ela trouxe o tal creme. Agradeci e a viagem continuou. Chegando ao Brasil, abri o pacote e vi que a bula do produto era em alemão, sem versão para o inglês ou espanhol. Procurei um colega da Academia Paulista de Letras, que era alemão, e pedi que traduzisse para mim. O homem leu, leu, virou pra mim e disse: 'Mas Lygia, esse creme é para crescer a barba!'"

Ao fim do encontro, Marcelino Freire anunciou: "Lygia Fagundes Telles é a esctitora homenageada da Balada Literária 2010". Vida londa a Lygia!



15 comentários:

Heloísa disse...

Valéria,
Deve ter sido muito bom esse evento.
Outra noite assisti um programa ótimo na TV Cultura. Acho que o nome era Lygia por Lygia. Ela ia falando sobre passagens da sua vida, que eram interpretadas simultaneamente pela Eva Wilma e Regina Braga.
Disse que só conseguiu superar a morte do filho porque se voltou para Deus.
Beijos.

Claudia Pimenta disse...

oi valéria! ah, ela é maravilhosa!!! encontro p/guardar na memória... bjs, querida!

. fina flor . disse...

adorei a maneira da Clarice acalmar a Lygia, rs*

e poxa, que delícia, tudo isso na livraria da Vila, que é demais.

beijos, querida

MM.

Gerana Damulakis disse...

Os encontros com Lygia são sempre ótimos. Ela esteve aqui em Salvador há alguns anos, contou casos também, depois jantamos na casa de um amigo. Noite inesquecível.
Grande dama da literatura brasileira. Para ela, tiro o chapéu, como disse o escritor Hélio Pólvora, estendo o tapete vermelho e peço que passe, por favor... para podermos admirá-la.
A estrutura da bolha de sabão, o livro todo, não só o conto: inesquecíevel.

Babi Mello disse...

Valéria que histórias legais e imagino o quanto essa mulher tenha a nos transmiti. Me diverti lendo as que você comentou aqui e fico feliz em saber da fé de Clarice.
bj!
E aparece lá no Percepções.

Fernandes disse...

Belo encontro, diria ímpar.

Obrigado por compartilhar tuas oportunidades.

Abraço;

Mônica disse...

Valéria
Que vontade de estar em SP para ver esta escritora.Ligia Fagundes Teles, uma vontade danada de ler algum texto de sua autoria.
Mas voce não esta tão distante assim Conseguiu contar a história como se a gente estivesse lá no auditório apreciando.
Voce é a minha escritora ou contadora de casos preferida.
Porque é muito mais fácil participar com voce de seus momentos e muito mais gratificante
Com carinho Monica.

Carolina disse...

Ai Val, que delícia deve ter sid este acontecimento!
Prosa boa esta com a Lygia, hein?

bjos e saudadessssss

figbatera disse...

Puxa, que maravilha, hein?!
Agradecemos a vc por compartilhar conosco encontros enriquecedores como este.

Lauren - Moda Trash disse...

Que delícia as frases de Lygia!
Sou grande admiradora da Clarice Lispector, pois sei que se interessava por moda, tanto q já escreveu textos sobre o assunto.
E um segredinho de família: a avó paterna do meu irmão é ucraniana e prima de Clarice. Pela as histórias que já ouvi, imagino que as cavernas da escritora sejam de fato mto dolorosas. Assim como de todos os refugiados da 2ª GM.
Espero que este livro seja lançado logo!
bjkasssssssssss

Valéria Martins disse...

Hoje haverá mais Clarice no blog. Fui ao lançamento do livro na Cultura do Conj. Nacional e o Benjamin Moser encantou a platéia. É um fofo!

Beijos, até

Neide disse...

Valeria
Tomei conhecimento do seu Blog há poucos dias, quando li a matéria da Miss Martha no Blog Mulher 7x7. Resolvi acessá-lo comei a ler e não podia parar mais. Então decidi que ia lê-lo na íntegra, desde o seu primeiro post em agosto/2007. Assim o fiz dediquei-me à leitura do Pausa do Tempo uma hora por dia. Adorei tudo que vc escreveu lá, ora com humor, tristeza, saudades em fim uma escrita verdadeira, humana, sincera.Aprendi muita coisa lendo vc. Adoro a Lya, leio a coluna dela sempre que posso.Deve ser um momento mágico estar ao lado de uma mulher como ela.

Valéria Martins disse...

Olá, Neide! Seu depoimento me emocionou muito... São eventos assim que fazem a gente acreditar e continuar... Fico muito feliz e agradecida, é uma honra ter a sua leitura desde o primeiro dia. MUITO OBRIGADA!

Ano que vem, existe o plano de lançar em papel os melhores textos. Vai acontecer. Espero que possa estar presente. Um grande beijo, com carinho

Neide disse...

Valéria,

Obrigada por tão doces palavras..Adorei o convite, farei o possível pra estar presente no lançamento de seus melhores textos, tem que publicar mesmo, fazê-los chegar às mãos de mais pessoas que como eu vai ficar encantada. Como disse a Mônica vc será a nossa "contadora de casos" preferida. Gostaria de saber como vc vai selecionar os melhores textos?
Beijão...

Valéria Martins disse...

Queria Neide, eu tenho na memória e no coração os textos que mais me tocaram ao escrever. Mas fui passando os olhos pelo blog inteiro, como você, e selecionando. Falta tempo para poder me dedicar a isso, toda hora paro para fazer outras coisas. Mas pretendo terminar antes do fim do ano.
Beijos! Obrigada!
Me diga seu email e vamos falar. Escreva um comentário na postagem atual, para eu não me perder. Bjs!