terça-feira, 23 de março de 2010

As palavras, as memórias e o universo

Marca registrada das Correntes D´Escritas é a escolha de temas “cabeludos” para as mesas de debates. Os temas são, na verdade, frases enigmáticas retiradas de livros de literatura portuguesa. Exemplos:

1º mesa – “Escrevo para desiludir com mérito” (Agustina Bessa-Luis)
3º mesa – “Passo e fico como o universo” (Alberto Caieiro/Fernando Pessoa)
6º mesa – “O poeta é um predador” (essa, eu me esqueci de quem é!)

Um dos escritores que, em minha opinião, soube melhor aproveitar seu tempo e inspiração para discorrer sobre o tema de sua mesa foi o poeta e romancista português José Carlos Barros. A frase era “As palavras cercam-nos como muros”. Com simplicidade e singeleza, ele falou:

A descoberta das palavras é indissociável da minha infância. Nasci no interior, um lugar mágico onde o sobrenatural convivia com o cotidiano. Os habitantes, mesmo analfabetos, davam muita importância à palavra e aos livros. Nos negócios, diziam: Dou-te a minha palavra. E aquilo valia como um documento escrito”.

Ele narrou episódios da sua infância em que a palavra e seu significado foram protagonistas de situações bem engraçadas.

Na aldeia onde eu nasci, as pessoas mais velhas não acreditavam que o homem tivesse ido à Lua. Argumentei:

- Mas vovô, vou à cidade buscar o jornal para que o senhor veja o que está escrito lá.

- Bah, e ainda acreditas no que está escrito os jornais?

Na aldeia havia uma moça muito dada e liberal cuja alcunha era, justamente, Lua. Um dia, meu pai chegou em casa dizendo:

- A grande novidade por aí é que os americanos foram à Lua. Grande coisa, pois a maioria dos jovens da cidade já lá foram
!”

Uma delícia, ouvir os causos do José Carlos Barros! E ele arrematou: “A literatura, para mim, é a construção de memórias e de universos”.

Palavras e memórias, vocês têm algum causo semelhante em seu universo?

4 comentários:

Mariana: Barbie is a bitch darling disse...

adoro esta imagem :)

bj

Neide disse...

Val,

Ameeeiiii esta foto mande-a pra mim por favor!!!

Para mim as palavras teem um efeito mágico. Adoro falar, contar causos,mais ainda escrever. Meu marido sempre diz que sou muito prolixa ao escrever. Gosto de narrativas detalhadas..sou aquela que sempre diz: contamais.conta mais...

Bjuuuu

Gerana Damulakis disse...

Adoro ouvir, daí adorar ler.

Mônica disse...

Primeiro gostei da foto.
Me deu uma vontade de ganhar um abraço assim.
Segundo
A mamae sabe cada história!
pena que ela não tem A CORAGEM de escreve-las.
Por que todas são verdadeiras.
Com carinho Monica