quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Ainda sobre a Nélida, vale comentar a honra de ter conhecido a casa dessa grande escritora, primeira mulher a presidir a Academia Brasileira de Letras (1996-97). Apartamento duplex com vista deslumbrante para a Lagoa; fomos recebidas no andar que abriga a sala de visitas e o escritório. As paredes cobertas de diplomas e homenagens oferecidas por instituições ligadas à leitura de diversos países. Cartazes de espetáculos inspirados em suas obras, encenados principalmente na Espanha, terra de seus antepassados (Galícia). Esculturas que são prêmios, especialmente, um prêmio cuja estatueta é da autoria de Joan Miró. Na parede sobre o sofá, uma tela enorme mostra uma Nélida sorridente, com um halo verde-bandeira em volta da cabeça, pintada por Glauco Rodrigues.
Ela tem, sim, a consciência de que sua casa abriga um acervo valioso que precisa ser preservado. Diz que ainda não tomou nenhuma providência nesse sentido, mas reconhece que é hora de começar a pensar nisso.
Assim, passamos a tarde batendo um ótimo papo, bebendo espumante rosé espanhol da marca Faustino, comendo salgadinhos preparados em casa. E ainda tivemos o prazer de conhecer Gravetinho, um joven pincher completamente apaixonado pela Nélida, que rosnava contra nós, por nossa audácia de nos aventurarmos nos domínios de sua dona.
Numa ida ao banheiro, um pouco tonta por causa do espumante, estiquei o pescoço para bisbilhotar o escritório, local de criação de "A força do destino","Tebas do meu coração" e outros. Tudo muito organizado, a foto em preto e branco de uma senhora ao lado do computador, que julgo ser sua mãe.
Por existir e nos doar seu tempo com tanta generosidade e simpatia, Nélida é inspiração.

2 comentários:

duda disse...

Valéria querida,
Parabéns e muchas gracias pelo teu compartilhar. Gostei imenso.
Está mais do que alinhado com a tua intenção. E, também, inspira a fazer o mesmo: oferecer, a quem quiser e puder aproveitar, um pouco do tanto aqui dentro clamando por luzes, ribalta...ou um blog na internet.
Merci também por esse estímulo.
Carinhosamente
Com Deus
Luís Eduardo

Valéria Martins disse...

Querido Luis Eduardo, tudo bom contigo? Quanto tempo sem saber de vc! Como vai o Miguel? Espero que muito bem!
Obrigada por seu comentário. Se gostou, divulgue para os amigos. Beijos!