quarta-feira, 2 de março de 2011

As coisas mudam

Tem um filme ótimo do David Mamet com esse título (Things change, 1988), e eu me lembrei dele recentemente após a entrevista com MV Bill e a leitura do conto sufi O homem cujo tempo estava alterado no livro Histórias dos derviches (Nova Fronteira, esgotado).

Primeiro, o enigmático depoimento do Bill:

"Meu relativo sucesso é recente. Antes eu fazia show na Cidade de Deus, cobrava ingresso barato, mas ninguém ia. E olha que eu me vangloriava de fazer música para preto. Ficava frustrado, porque não era ouvido nem pelas pessoas da comunidade e nem pelos lá de fora. Isso foi me desmotivando de uma forma que eu quase desisti. Mas, de uma hora para outra, sem que eu fizesse nada, a coisa mudou. Não sei como, nem porque, mas mudou! Isso aconteceu de uns 3 anos para cá”.

O conto do homem com o tempo alterado, narra a trajetória de um próspero comerciante que vai perdendo tudo e sendo atingido por uma série de infortúnios até ficar quase na miséria. Valendo-se da antiga amizade com o rei de um país vizinho, viaja até lá para pedir ajuda.

Quando finalmente é admitido à presença do rei, o soberano indica que o o homem deverá receber 100 ovelhas e cuidar delas às margens do reino. O homem fica chateado, pois esperava mais. Mas cumpre as ordens do líder. Porém, as ovelhas são acometidas por uma misteriosa doença e morrem, e ele volta à miséria.

Numa segunda visita ao Rei, o monarca ordena que lhe sejam dadas 50 ovelhas, para que tente de novo. Menos ovelhas ainda? Mais uma vez, uma tragédia natural leva as ovelhinhas e ele fica sem nada.

Numa terceira visita, a cota passa a ser de 25 ovelhas. O homem está desalentado e cansado, mas não pode decepcionar o rei. Eis que o rebanho cresce e se multiplica!

De volta à presença do rei, este fica satisfeito e oferece ao homem o trono de um reino vizinho. Mas ele fica intrigado: "Por que não me ofereceu o trono na primeira vez em que o procurei?" Ao que rei responde: "Porque se houvesse lhe dado naquela época, não existiria hoje naquele reino pedra sobre pedra".




3 comentários:

Henrique disse...

Você acredita em sincronicidade, Valéria? Acho que sim. Pois é. Era justamente isso que você postou o que eu precisava ler agora. Obrigado.
bj,
HK

Fernandes disse...

Ô ...e como mudam

Até o Fernandes vai sair na bateria da Beija Flor ,haha

Vamu que vamu nas curvas da estrada...

Célia Regina disse...

Valéria, querida! Feliz Dia da Mulher... Bjus