terça-feira, 30 de novembro de 2010

Sobre o Rio de Janeiro

Eu moro no Rio desde que nasci. Nunca morei em outro lugar. São muitos verões de praia e cada canto da cidade tem uma história gravada na minha memória.

Atualmente, todos os amigos que vivem em outras cidades ou países estão preocupados: como tem passado esses dias? Você e sua família estão em segurança? Trato de tranquilizá-los, pois moro no pedaço privilegiado da cidade, a Zona Sul, onde a violência respinga de vez em quando, mas nada parecido com o que acontece atualmente nas comunidades do Complexo do Alemão.

Sobre o estado atual de coisas, reproduzo dados impressionantes publicados em reportagem na Folha de S. Paulo domingo passado:

  • O tráfico emprega na cidade do Rio de Janeiro cerca de 16 mil pessoas, ou seja, gera tantos empregos quando a Petrobrás na capital Fluminense.
  • O faturamento desse comércio é da ordem de R$ 633 milhões por ano - o mesmo que o setor têxtil no Estado.
  • Mais de 100 toneladas de drogas são vendidas por ano, o que equivale a cinco vezes mais do que o total de apreensões anuais feitas pela Polícia Federal em todo o país.
  • O Complexo do Alemão representa a principal fonte de renda do mercado de drogas hoje no Rio, com faturamento anual de R$ 8 milhões.
  • O Governo Estadual gastou com segurança, ano passado, R$ 4,096 bilhões e calcula precisar de mais R$ 4 bilhões para estender o projeto das UPPS de 13 para 40 comunidades existentes no Rio, nos próximos anos.

Os dados são de pesquisa do economista e professor do Ibmec-RJ, Sérgio Ferreira Guimarães.

Quem entende um mínimo de Economia sabe que o dinheiro tem leis próprias. Ele não obedece ao nosso querer, do contrário, não existiria pobreza no mundo. Aonde vai parar essa economia das drogas? Existe uma oferta, existe um mercado. É essa realidade que precisa ser enxergada, para que medidas realmente efetivas possam ser tomadas, de acordo com a realidade.





3 comentários:

Heloísa disse...

Valéria,
Esses números são impressionantes.
Realmente, para onde vai essa dinheirama?
Muita e muita lavagem, que precisa ser descoberta e combatida.
bjs

Mônica disse...

Valéria
E agora?
Eu nem escuto noticiario.
Fico com medo!
Mas a Marilia sempre nos tranquiliza!
Vamos aguardar!
com carinho MOnica

Mônica disse...

valéria
Esquci de lhe pedir que quando souber de mais algum evento como aquele nos comunique.

A Marilia não tem faldo mais nada porque mamae fica preocupada
com carinho MOnica