quinta-feira, 7 de junho de 2012

Um vulcão no meio do caminho

Las Vegas nasceu como um entreposto de escoamento do ouro e minérios extraídos do deserto norte-americano a caminho do porto de São Francisco. Os mineradores e aventureiros gostavam de jogar cartas, e assim surgiu a fama de ser um local propício à jogatina.

Em 1911, Las Vegas tornou-se oficialmente uma cidade. Mas o crescimento veio a partir de 1940, quando a máfia se mudou para a região e começou a investir dinheiro na construção dos hotéis e... cassinos.

O primeiro deles, que continua firme e forte até hoje, é o Flamingo Hotel. Fica na parte antiga da cidade, Old Las Vegas, que merece um post especial. Este hotel, no entanto, é pequeno perto da segunda geração de resorts que começaram a ser construídos a partir de 1989.

O primeiro dessa segunda leva é The Mirage, em cuja entrada existe um vulcão que entra em erupção a cada meia hora. O turista está passeando pela rua e começam explosões, música apoteótica, luzes vermelhas!... É o vulcão do The Mirage, rodeado por um inacreditável complexo de fontes de água - considerando que estamos no meio do deserto.

Cada hotel de Las Vegas tenta superar o outro com atrativos inusitados. Bellagio, por exemplo, - talvez o mais fiel à estética cafona-chic norte-americana - tem na entrada um imenso lago com chafarizes dançarinos. A cada 15 minutos, jatos de água entram em ação ao som de músicas variadas: clássicos, Michael Jackson, new age.

O mais bonito desse show é que a água sobe muito, muito alta e, dependendo da música, é pulverizada formando uma cortina de gotículas que envolvem as hordas de turistas amontoados nas balaustradas ao redor, todos de boca aberta.

Alguns hotéis são exemplos flagrantes do tema do livro de Umberto Eco, Viagem na irrealidade cotidiana, no qual ele critica a obsessão pela cópia tão característica dos americanos. O hotel Paris tem uma Torre Eiffel na entrada - quase em tamanho natural. Já The Venetian tem um lago onde os turistas podem passear de gôndola.

Críticas a parte, confesso que adorei tudo. É um uma brincadeira. Tem que levar com humor e deixar o lado o seu lado criança se manifestar.

Abaixo, os chafarizes dançarinos do Bellagio com a Torre Eiffel fake ao fundo.




3 comentários:

Sandra Portugal disse...

Nao conheco Las Vegas, quem sabe um dia?
Vou adquirir o livro que me recomendou.
desenho muito sucesso.
Bj Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

Fernandes disse...

Srª Martins,
Saudade dos teus escritos !
:)

Anônimo disse...

Hi there everyone, it's my first visit at this website, and post is really fruitful designed for me, keep up posting such content.

Also visit my blog: url shortener